Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

6 mentiras contadas para as seguradoras de carros

Mentiras contadas para as seguradoras de veículosPara tentar tornar o seguro mais barato, algumas mentiras estão se tornando comuns. Conheça algumas delas e não use na hora de fazer seu seguro auto.

Na hora de fazer um seguro auto, muitas pessoas acabam não passando todas as informações corretas no questionário de preenchimento obrigatório. Isso pode acontecer porque a pessoa realmente não tem conhecimento sobre uma determinada situação e acaba respondendo qualquer coisa ou intencionalmente para tentar deixar o seguro mais barato. Não importa qual seja o motivo, essas mentiras não devem ocorrer, isso porque o maior prejudicado será sempre o segurado que passou informações inverídicas.

A questão é que algumas delas já se tornaram tão comum que fizemos uma lista para que possa conhece-las e se atentar a esses erros.

Sou o único que dirige o veículo

A maioria das pessoas realmente possui o veículo para uso próprio, porém não quer dizer que somente ele fique ao volante. Vamos supor que o marido empresta o carro a esposa uma vez por semana a noite, nesse caso ela também será uma condutora habitual, mesmo que por um curto período.

Se colegas pegam o carro esporadicamente isso também deve ser informado, nem sempre é preciso informar o nome de quem dirige nessa situação, porém isso não deve ser omitido.

Não tenho jovens que dirigem o veículo

Muitos pais querendo diminuir o valor do seguro não informam que os filhos que acabaram de tirar a habilitação pegam o carro, por exemplo, ao final de semana. Isso acontece porque os jovens de 18 a 26 ano por falta de experiência no volante acabam se envolvendo em um maior número de acidentes, a consequência é um seguro mais caro para esse grupo.

Aí os pais para darem uma de espertos não contam que os filhos pegam o carro, e afirmam que são os únicos condutores.

Eu dirijo pouco

De acordo com a quilometragem percorrida o seguro pode ficar mais caro, afinal quanto mais tempo rodando maior o risco de acidente. A questão aqui muitas vezes não é nem tentar enganar a seguradora, mas não ter uma real noção do percurso percorrido.

É bastante comum as pessoas nesse caso quererem imaginar o quanto andam com o veículo sem nunca ter feito um real acompanhamento. A questão é que na maioria das vezes o informado é bem abaixo da realidade.

Meu carro está sempre na garagem

É preciso informar os locais mais comuns onde se anda com o veículo e onde ele fica guardado. O mais normal é as pessoas pensarem apenas em casa e algumas vezes no trabalho. Na hora de informar o local da residência o CEP pode deixar o seguro mais caro, pois as áreas onde existe maior incidência de roubo e acidentes são consideradas de “risco”. Mas nada de mentir sobre o endereço.

Quando questionado onde o carro fica estacionado as pessoas logos respondem na garagem, afinal a segurança é maior e os riscos diminuem. Porém, imagine que o carro é usado para ir ao trabalho e também para a faculdade, sendo que durante as suas aulas ele fica na rua. Só que para fugir do valor adicional que será cobrado pelo seguro nesse caso, as pessoas omitem ou mentem essa informação.

Meu histórico como motorista é ótimo

Algumas seguradoras acabam concedendo desconto para bons motoristas ou aumentando o valor para os maus. Isso quer dizer que se a pessoa não possui multas e um histórico de acidentes, as chances dela pagar mais barato pelo seguro serão bem maiores.

Pensando nisso, algumas acabam mentindo que nunca foram multadas ou se envolveram em acidentes. Porém, é possível fazer esse levantamento e os problemas podem começar.

Só uso meu carro para fins pessoais

As empresas tem um valor diferenciado de seguro porque os riscos com os carros são maiores. Se você é pessoa física, mas ainda sim utiliza o carro para realizar eu trabalho deveria informar a seguradora.

Muita gente não o faz porque sabe que isso vai deixar o custo mais elevado, porém é preciso deixar claro que ir da casa para o trabalho o carro está sendo usado para fins pessoais, já se usa para transportar mercadorias ou pessoas por solicitação da empresa, então é preciso rever as informações fornecidas a seguradora.

Quais as consequências dessas mentiras?

Se para se dar bem a pessoa mentiu ou omitiu algumas dessas informações, em um primeiro momento isso não será descoberto. Porém, se o seguro for acionado por conta de um sinistro, serão levantadas as informações relativas a esse, e então podem começar os problemas para receber a indenização. Os mais comuns são:

  • Recusa do pagamento do sinistro;
  • Não renovação da apólice;
  • Cancelamento do seguro;
  • Processo contra o cliente.

Por isso quem não deseja enfrentar esse tipo de problema, na hora de responder ao questionário do seguro é recomendado falar sempre a verdade. Em casos de dúvida, consulte o seu corretor e evite dores de cabeça no futuro.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *