Seta Balao

Simule o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

Batida de carro: como acionar o seguro se bater em um carro?

Você já contratou um seguro auto, mas ainda tem dúvidas sobre como acioná-lo caso se envolva em uma colisão? Acompanhe este artigo e veja como acionar o seguro se bater em um carro.

Ter um carro e não contar com um seguro auto é praticamente loucura atualmente, no entanto, mesmo que conta com esse serviço pode acabar encontrando dificuldades em determinados momentos.

Entre essas dificuldades, a mais recorrente são as dúvidas sobre como acionar o seguro se bater em um carro.

Afinal, por mais que o segurado seja orientado no ato da contratação, no momento do sinistro existe uma tensão emocional que pode acabar deixando as coisas mais complicadas.

Para ajudar nessas situações, preparamos um artigo explicando passo a passo simples e de fácil memorização de como proceder em uma colisão de veículos.

Assim, se você se envolver em uma batida de carro e danificar o seu veículo e o de outra pessoa, não ficará perdido.

Batida de carro: como acionar o seguro se bater em um carro?

Imagem: Getty Images

Como proceder em uma colisão de veículos?

A primeira coisa que você precisa fazer ao se envolver em uma batida de carro é manter a calma e verificar se você ou outras pessoas se machucaram.

Caso haja feridos, solicite um socorro médico o mais rápido possível e, se a pessoa estiver muito machucada, não mexa com ela.

Se não houver feridos, ao menos gravemente, verifique se os veículos possuem condição de serem retirados do caminho e o faça.

Caso não seja possível tirá-lo do lugar é imprescindível que você sinalize a área do acidente com o triângulo e mantenha o pisca alerta acionado.

Feito isso, o passo seguinte será estabelecer uma comunicação pacífica com o outro motorista envolvido na colisão e começar a tomar as providências para resolver a situação.

Tente chegar a um acordo sobre quem foi o responsável pela colisão, veja a gravidade dos danos promovidos, se ambos possuem seguro auto e quem o acionará.

Se o responsável for você, ou ficar decidido que você acionará o seguro, comece os procedimentos para tal.

Se você perceber que os danos aos veículos nãos foram graves, procure resolver o conserto com o outro motorista de maneira particular.

Muitas vezes sai mais barato pagar o conserto particular em uma oficina do que acionar o seguro e arcar com a franquia.

Mas, se você achar que os danos terão um valor de reparo alto o melhor será acionar o seguro.

Diferentemente do caso anterior, nesta situação é fundamental acionar as autoridades responsáveis e registrar um boletim de ocorrência, antes mesmo de entrar em contato com o seguro.

É muito importante que todas as pessoas envolvidas na colisão façam o B.O. contando sua parte do ocorrido, para que o policial possa descrever com detalhes o acidente.

Depois disso, será preciso que os envolvidos assinem o boletim de ocorrência, mostrando que concordam com o que foi detalhado no documento.

Se você for o responsável pela colisão precisará deste boletim para acionar a sua cobertura de seguro.

Depois de registrar o B.O., pegue todos os contatos das pessoas envolvidas, e se possível de algumas testemunhas que estavam presentes na hora da batida.

Você precisará dessas informações, além do B.O. e o orçamento do conserto do veículo, para acionar o seguro.

Acionando o seguro em caso de colisão

Agora que os primeiros passos já foram tomados é hora de acionar o seguro para solicitar os reparos necessários.

Esse acionamento pode ser feito através da central telefônica de atendimento da sua seguradora, do site da empresa, e-mail, ou em alguns casos, aplicativo de celular.

Você encontrará todas as possibilidades de contato com a seguradora na sua apólice de seguros, ou no seu cartão do segurado.

Ao entrar em contato com a seguradora, tenha em mãos o número da sua apólice e seus documentos pessoais como carteira de motorista, documento do carro etc., esses dados serão solicitados.

Informe sobre o sinistro fornecendo todos os dados coletados a respeito, o número do boletim de ocorrência, os dados de contato das testemunhas e as fotos do acidente, caso você tenha tirado, e o orçamento do conserto.

Pode ser que, mesmo recebendo essa última informação, a seguradora solicite que você providencie um orçamento para os reparos em uma ou mais oficinas credenciadas a ela.

Não estranhe, este é um procedimento comum das empresas de seguro.

Feito isso, será gerado um número de sinistro e você será informado sobre o prazo de espera para que a seguradora análise o sinistro aberto e aprove ou negue a realização dos reparos necessários.

Documentos necessários para a abertura do sinistro

A solicitação dos documentos necessários para a abertura do sinistro pode variar de uma seguradora para outra, no entanto, no geral os documentos solicitados são:

Nos casos de sinistro de perda parcial – onde existe a possibilidade de reparos

  • O. da Polícia Civil (se houver vítima);
  • O. da Polícia Militar (quando necessário);
  • CNH – Carteira Nacional de Habilitação;
  • DUT – Documento Único de Transferência.

Nos casos de sinistro de perda total – onde o valor dos reparos é igual ou superior a 75% do valor de compra do veículo, de acordo com a tabela FIPE:

  • O. da Polícia Civil (em acidente com vítima);
  • O. da Polícia Militar;
  • CNH – Carteira Nacional de Habilitação;
  • Comprovante de residência;
  • CPF e RG;
  • DUT – Documento Único de Transferência;
  • Cópia da última parcela paga para veículos alienados – comprados por consórcio.

Análise de sinistro da seguradora

Depois de seguir todos os passos até aqui, você precisará aguardar.

Pois, a seguradora terá um prazo para analisar a documentação entregue e realizar uma vistoria técnica nos veículos a serem consertados, caso você tenha danificado também o outro veículo e possua a cobertura para terceiros.

Essa análise técnica avaliará principalmente três quesitos, que são:

  1. Constatação dos danos promovidos pelo sinistro;
  2. Previsão do conserto de acordo com os reparos necessários;
  3. Análise de tipo de sinistro, perda parcial, caso ainda haja a reparação dos danos, ou perda total, promovendo a indenização integral, conforme estipulado em apólice.

Depois do período de análise a seguradora entrará em contato informando se a solicitação de sinistro foi aceita ou não.

Caso a resposta seja positiva, será necessário encaminhar o veículo a uma oficina, que pode ser credenciada à seguradora ou não e realizar o pagamento da franquia.

Quem escolhe a oficina para a realização dos reparos?

Saiba que, quem escolhe a oficina para que os reparos sejam feitos é o segurado.

A maioria das seguradoras possui uma lista de oficinas que são credenciadas a ela e por conta disso promovem serviços com descontos ou com garantias de cumprimento do prazo.

Basta escolher uma delas e encaminhar o veículo até a oficina.

No entanto, se você preferir pode optar por uma oficina ou mecânico de sua confiança, mesmo que não credenciado junto ao seu seguro.

Geralmente neste caso, não existem garantias de cumprimento do prazo para os reparos.

O que fazer se a seguradora não aceitar o sinistro?

É comum encontrar casos em que a seguradora se negou a reparar os danos ou mesmo arcar com a indenização integral em sinistros de perda total.

Se isso acontecer com você o primeiro passo a ser tomado é analisar a apólice e ver se o motivo da recusa, informado pela seguradora, consta no contrato.

Veja se a causa do sinistro constatada pela seguradora está correta e se ela realmente é coberta pelo seguro contratado por você.

Se a resposta for sim e, ainda sim a seguradora se recusar a pagar o reparo, será preciso entrar com um processo judicial de trânsito.

Como funciona o seguro para terceiros em casos de sinistro?

Se você possui a cobertura para terceiros no seu seguro, não há com o que se preocupar.

Esse seguro, também conhecido como RCF-V – Responsabilidade Civil Facultativo de Veículos serve exclusivamente para cobrir danos causados a outras pessoas em sinistros onde você seja o responsável, sejam materiais, corporais ou morais.

Mas é importante mencionar que essa cobertura só é válida quando  o segurado é o responsável pelo acidente.

Ou seja, para que o seguro possa ser acionado nessas condições, é preciso que o segurado assuma a culpa e esta seja comprovada na análise realizada pela seguradora.

É interessante saber que, ao acionar o seguro para terceiros você não precisará pagar a franquia para os reparos ao outro veículo.

Você arcará com a franquia apenas se acionar o seguro para reparar o seu veículo.

Esperamos ter esclarecido todas as dúvidas em relação a uma batida de carro e como acionar o seguro se bater em um carro.

Mas, se você ainda tiver dúvidas, entre em contato com a nossa equipe e peça mais informações.

Leia mais artigos sobre:
Jeniffer Elaina da Silva

Especialista em seguros, Jeniffer Elaina trabalha com redação, revisão e otimização SEO desde 2012. É formada em Marketing com pós em Administração na FGV e atualmente cursa Gestão de Seguros. Possui mais de 2.000 textos e 5 e-books publicados na área de seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *