Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

Carros autônomos

O que parece apenas ficção científica nos filmes acaba, muitas vezes, se tornando realidade. Quem não se lembra de “AI – Inteligência Artificial”, de Steven Spielberg? Hoje, já existem robôs ”humanos”, e cada vez mais avançados. Outra inovação que parecia “brincadeira” são os carros autônomos, cada vez mais próximos de se tornarem parte do dia a dia. Acompanhe o texto e saiba mais sobre o assunto!

Os carros autônomos, aqueles que não precisam de um motorista, aos poucos começam a se tornar realidade.

Tanto que já existem diversas empresas fazendo testes, para que eles logo possam estar disponíveis a todos os usuários.

Apesar de muito se falar e das dúvidas sobre o funcionamento e segurança dos veículos, os resultados de testes pelo mundo têm se mostrado satisfatórios.

Acompanhe a seguir as novidades sobre esse tipo de veículo e as empresas que têm trabalhado com ele.

Carros autônomos

Quais as empresas pioneiras em carros autônomos?

São muitas as empresas que buscam, hoje, desenvolver carros autônomos funcionais e seguros. O objetivo é que, com o tempo, o veículo esteja disponível ao grande público.

Assim, será possível diminuir o número de carros na cidade, especialmente estacionados nas ruas — continue acompanhando o texto e saiba o porquê. A seguir, listamos algumas companhias que vem desenvolvendo a opção.

Google

Google já possui carros autônomos em circulação para testes nos Estados Unidos. Porém, recentemente um dos seus carros foi parado na Califórnia por dirigir em baixa velocidade.

Apesar de parecer estranho,  a empresa explicou que isso ocorreu para que os sensores pudessem ser melhor posicionados e para que testes fossem realizados.

Outra melhoria que os carros têm apresentado é o reconhecimento de sirenes. Assim, eles podem desacelerar e liberar passagens para as viaturas.

A funcionalidade existe porque os veículos são equipados com sensores de som e com câmeras que detectam as luzes piscando.

Ford

A primeira frota de veículos autônomos da Ford tem lançamento previsto para o ano de 2021. O objetivo é que eles sejam utilizados para a entrega de mercadorias, e também para caronas compartilhadas.

Para desenvolver o “cérebro” do veículo, para que ele possa dirigir sozinho, a marca vem trabalhando em parceria com a Argo AI. A Argo tem a missão de criar sensores confiáveis e duráveis.

Uber

O serviço de transporte por aplicativo da Uber é outro que tem buscado essa nova opção de tecnologia. A empresa chegou a realizar vários testes nas ruas mas, em 2018, houve um acidente.

Na ocasião, o veículo sem condutor atropelou e matou um ciclista no Arizona (Estados Unidos). A empresa suspendeu os testes para aprimoramentos e deve, em breve, voltar à sua atuação.

Como um carro autônomo funciona?

Sem dúvida, o que permite a existência dos carros autônomos é a tecnologia de ponta. São vários os recursos integrados em cada veículo, que permitem ao automóvel “ver” o que está ao redor.

Incluindo pessoas, animais e outros veículos. Esse aspecto é considerado ainda mais importante do que a capacidade de dirigir do carro, pois garante segurança.

Entre os equipamentos disponíveis no veículo estão sensores de ré, de presença, ultravioleta e infravermelho. Há ainda a luz de espectro visível, câmeras e o GPS, que permite o direcionamento do auto pelas ruas corretas.

O software de navegação permite também que os carros compreendam marcações de pistas, placas de sinalização e mapas tridimensionais.

Em alguns modelos em desenvolvimento, os veículos possuem velocidade máxima definida. Em outras, a velocidade de deslocamento é calculada, automaticamente, pelo sistema de navegação.

Assim, ele pode manter a condução dentro dos limites da via, mas sem que seja devagar demais.

A mudança no trânsito das cidades

A Toyota anunciou a comercialização do seu carro autônomo prevista para 2020, e isso foi muito bem recebido na Cidade de Los Angeles.

Isso porque, hoje um dos grandes problemas que a cidade enfrenta é a dificuldade para estacionar os veículos, uma vez que o número de estacionamentos não é suficiente. Com o carro autônomo, isso seria facilmente resolvido.

Estudos revelam que essa preocupação não é à toa, já que hoje 14% de toda a área da cidade norte-americana é ocupada por estacionamentos.

Além disso, cerca de 30% do movimento na região central se refere a pessoas que buscam vagas. Com isso, pode haver uma transformação nas cidades e a facilitação do trânsito.

Por exemplo: em vez de ficar parado enquanto você está trabalhando, um carro autônomo poderia ser utilizado por outro  membro da sua família. Ou, então, voltar sozinho para a casa.

Uma outra maneira de utilizar o veículo seria torná-lo um carro compartilhado. Não necessariamente com os membros da família, mas até mesmo com desconhecidos.

Com o avanço da tecnologia, não será necessário, nem mesmo, contar com alguém habilitado no veículo.

De acordo com previsões, essas mudanças permitirão também uma economia com a compra e manutenção dos veículos.

Além do mais, indivíduos que hoje têm dificuldade para se locomover e que dependem de outras pessoas, como os cegos e pessoas com deficiência física motora, teriam mais autonomia para transitar pelas cidades.

O que será preciso para os carros?

Em todo o caso, cidades e seguradoras deverão se adaptar. Nos Estados Unidos, por exemplo, onde muitos testes são realizados, já são discutidos impostos e leis específicas para esse tipo de carro.

Já as seguradoras, provavelmente, considerarão requisitos diferentes para definição dos custos do seguro autônomo. Afinal, não haverá mais o fator humano para o aumento ou diminuição das chances de sinistro.

Também são necessárias algumas condições básicas das ruas para o funcionamento dos autos. Como uma conexão estável com a internet e a cobertura de redes 3G/4G nas estradas.

As ruas ainda precisarão ser pavimentadas, bem conservadas e terem faixas de sinalização pintadas.

Carros autônomos no Brasil

No Brasil, os carros autônomos têm a sua ideia bem aceita por cerca de 80% dos brasileiros. Tanto que o projeto Carina está sendo desenvolvido na USP, e já conta com um protótipo que tem apresentado bons resultados.

O carro usado no projeto é um Palio Weekend Adventure, com câmbio Dualogic. Ele conta com sensores a laser, câmeras de leitura da pista, GPS e unidade inercial, além de dois computadores.

O GPS utilizado é mais preciso do que os usados pelos carros particulares e isso garante mais segurança. O atual modelo custou cerca de 50 mil reais e carrega 250 mil em equipamentos.

O plano é realizar novos e contínuos projetos, com veículos ainda mais baratos. Um carro de 30 mil e 20 mil em equipamentos é considerado algo ideal.

Para isso, será preciso trocar os sensores por modelos similares aos que são usados pelo Google, que custam menos. Além de um carro autônomo, a USP tem desenvolvido um projeto de caminhão autônomo.

Apesar de uma realidade cada vez mais próxima, os veículos autônomos devem ainda demorar para se tornarem populares.

Isso porque, será preciso a comprovação total da sua segurança, e ainda sua produção em grande escala. Do contrário, a opção se manterá cara, como os carros elétricos são até hoje.

Agora você já sabe um pouco mais sobre os carros autônomos. Acha a tecnologia interessante? Pois, então, fique atento ao mercado! Com o passar dos anos, a opção deve estar disponível para compra pelo grande público.

Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *