dcsimg

Carros autônomos: será o fim dos seguros?

Carros autônomos: será o fim dos seguros?Já pensou em fazer diversas atividades enquanto vai para o trabalho no seu carro particular? E o melhor: com as mãos desocupadas?

Isso é o que promete o futuro da indústria automobilística. O que antes era visto apenas em filmes de ficção científica e desenhos como “Os Jetsons”, já está se tornando realidade e circula pelas ruas. Os carros inteligentes, que não precisam de um motorista, já estão em teste e existe uma previsão que em cerca de 20 a 30 anos já estejam disponíveis para comercialização.

Eles devem permitir uma condução mais tranquila e com menos acidentes, além de permitirem que o motorista fique livre para realizar outras atividades.

A Google já vem fazendo testes com carros autônomos na Califórnia, Estados Unidos, há pelo menos seis anos, porém há pouco tempo ela aumentou a frota para dezenas de veículos. Juntos, eles já percorreram mais de 2,7 milhões de quilômetros. O problema é que já se envolveram em 11 acidentes. Por conta disso, o número de acidentes envolvendo carros autônomos tem sido maior do que a média de acidentes nos Estados Unidos.

Porém, como os carros ainda estão em teste, a tendência é que esse número seja reduzido e chegue próximo a zero até a sua comercialização, sendo assim um meio de transporte bastante seguro.

O que as pessoas pensam sobre os carros autônomos

Apesar da previsão, segundo a Boston Consulting Group (BCG), ser de que em 2035 haja cerca de 12 milhões de veículos autônomos nas ruas (cerca de 10% das vendas), muita gente afirma que prefere um carro que possa dirigir.

Segundo um estudo da Universidade de Michigan, 43,8% afirmaram que preferem um carro como conhecemos hoje, 40,6% disseram preferir um carro parcialmente autônomo e somente 15,6% querem um carro totalmente autônomo. Isso só mostra que as pessoas ainda preferem dirigir da forma como conhecemos hoje e os motivos são os mais diferentes possíveis.

Apesar disso, as montadoras estão investindo nesse tipo de tecnologia e acreditam que em um futuro um pouco mais distante todos os carros serão autônomos.

E os seguros de carros?

Seria então o fim dos seguros? Na verdade, não. Isso porque a tendência é sim que os acidentes diminuam (e isso deve baratear os seguros), porém os roubos e outros tipos de danos devem permanecer. Por isso, mesmo com um carro autônomo, o seguro deve permanecer.

Como a tendência é de que o valor do seguro caia, isso pode interferir na compra ou não de um carro autônomo. Segundo uma pesquisa da Insurance.com, apenas 18% dos entrevistados comprariam um carro autônomo. Porém, quando informados de que o valor do seguro reduziria cerca de 80% nessas situações, esse percentual subiu. Dos entrevistados 32% informaram que muito provavelmente iriam comprar esse tipo de veículo e 52% iriam considerar a possibilidade.

Essas mudanças devem trazer grandes vantagens. Para as seguradoras, apesar da redução nos prêmios do seguro, elas também terão um menor número de sinistros, o que deve equilibrar as contas. Já para o consumidor, a probabilidade de se envolver em um acidente deve diminuir e ainda conseguir pagar um seguro mais barato.

E você, o que acha sobre a chegada dos carros autônomos e diminuição dos preços dos seguros?

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro a responder!

Postar um comentário