Seta Balao

Cote o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

Direção hidráulica ou elétrica: qual a diferença e como escolher a melhor

Chegou a hora de comprar seu carro novo. Você começa a pensar em tudo o que deseja, freios abs, airbag e cambio automático. Então surge uma dúvida: direção hidráulica ou elétrica?

A direção é o sistema responsável por direcionar os movimentos do automóvel, mas como sabemos, existem vários elementos que auxiliam na leveza e estabilidade ao conduzir um carro.

Entre os diversos veículos produzidos atualmente, a maioria deles já sai da fábrica com o sistema de direção hidráulica ou elétrica. Mas, qual é a diferença entre os dois?

Desde o funcionamento até a manutenção, existem diferenças entre eles. Listamos abaixo as principais vantagens e desvantagens de cada modelo.

Direção hidráulica ou elétrica: qual a diferença e como escolher a melhor

Imagem: Pixabay

Direção hidráulica

A direção hidráulica não é exatamente uma novidade, já que está presente desde 1967 no Brasil. Em solo nacional, o primeiro carro a ter esse item foi o Ford Galaxie. A partir daí, muitos carros foram produzidos com essa tecnologia.

O sistema hidráulico é acionado pelo movimento de uma correia ligada ao motor.

Esse deslocamento faz com que o fluido do sistema circule, resultando em uma condução com mais leveza, pois esse mecanismo pode reduzir o esforço físico do condutor em até 80%.

Vantagens e desvantagens

Presente na maioria dos modelos, a direção hidráulica torna a movimentação das rodas, um esforço consideravelmente menor.

Com esse sistema o condutor se beneficia do “feeling”, ou seja, sentir o carro, seu grau de aderência, o terreno em que se está trafegando e também prever qual será a sua resposta, o que fez desse modelo uma opção segura.

A ausência do risco de pane elétrica é outra vantagem a se considerar, pois mesmo que um pneu estoure, é possível manter o carro sob controle.

Os sistemas de direção hidráulicos ou elétricos já fazem parte da maioria dos veículos fabricados, porém em comparação com o sistema elétrico, carros que possuem a direção hidráulica costumam a ter um valor menor na hora da compra.

Uma das desvantagens nesse sistema é que a bomba necessita utilizar a força do carro para ser movimentada, roubando entre 1 a 3 cavalos de potência.

No campo das desvantagens, também podemos adicionar a manutenção, apesar de não ter um valor muito alto, requer cuidados mais frequentes. Pela complexidade do mecanismo envolvido, a manutenção exige um profissional qualificado, para garantir o bom funcionamento – e segurança – do carro.

Direção Elétrica

Mais recente do que a direção hidráulica, estreou no Brasil em 1988, com o Suzuki Cervo.

Esse sistema conta com um pequeno motor elétrico, localizado na barra de direção ou na cremalheira, composto por sensores capazes de identificar os movimentos do volante.

Na prática, o sistema funciona assim: quando o automóvel é ligado, é enviado ao módulo eletrônico um sinal que aciona o motor elétrico. Então os sensores passam para a central de controle as informações sobre a rotação e a velocidade.

Ao detectar o movimento no volante, esse sensor interpreta a ação e repassa a informação para a central, e logo a assistência é fornecida.

É importante destacar que quando não há movimentação no volante, esse processo não acontece, o que faz com que esse sistema não consuma tanto a força do motor.

Vantagens e desvantagens

Por ser um sistema prático, oferece mais conforto e precisa de menos manutenções. Como não precisa de acessórios como mangueiras e correias, também contribui para a leveza do veículo.

Outra vantagem é a economia de combustível de até 5%, pois, como já dito, o sistema elétrico não consome a força do motor.

Nos automóveis equipados com a direção elétrica, é possível adicionar funcionalidades tais como: piloto automático adaptativo, assistente de manutenção de faixa e estacionamento automático.

A sustentabilidade é outra vantagem, pois o sistema elétrico contribui para a preservação ao deixar de usar a bomba hidráulica e fluidos.

A manutenção, por ser menos complexa, acaba sendo mais econômica. Mas, mesmo sendo um sistema muito eficiente, existe a possibilidade de pane elétrica.

Caso isso aconteça, o carro não irá travar, o que poderia ocasionar a perda de direção. Nesse caso, o volante ficará pesado, como em um carro com direção mecânica.

Não há ligação entre as rodas traseiras e a direção, o que faz com que o motorista possa ter a sensação de falta de controle, caso o sistema não esteja bem calibrado

Direção hidráulica ou elétrica? Qual escolher?

Essa é uma decisão pessoal, que cabe somente ao comprador.

A verdade é que, independente da sua opção ser a direção hidráulica ou elétrica, ambas exigem alguns cuidados para aumentar a vida útil.

Então avalie os detalhes, considere os custos e teste o automóvel antes de adquirir, assim você terá mais segurança em sua escolha e terá um veículo que atenderá melhor suas necessidades.

E aí, direção hidráulica ou elétrica? Conta para a gente nos comentários, qual é a sua escolha.

Foto de Jeniffer Elaina da Silva

Especialista em seguros, Jeniffer Elaina trabalha com redação, revisão e otimização SEO desde 2012. É formada em Gestão de Seguros, Marketing e tem pós em Administração na FGV, possui curso técnico em Direito do Seguro. Possui mais de 3.000 textos e 5 e-books publicados na área de seguros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.