dcsimg

Primeiro carro elétrico no Brasil já pode ser encomendado

Primeiro carro elétrico no Brasil já pode ser encomendado

Fonte: www.themotorreport.com.au

Quem estava ansioso pela chegada do primeiro carro elétrico no Brasil já pode comemorar, pois a BMW já iniciou a pré-venda do modelo i3, que chegará às concessionárias até o término de 2014. Serão apenas 130 unidades do carro elétrico distribuídas nas lojas de Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Distrito Federal e Paraná, então que quiser o seu, melhor garantir logo.

Para fazer esta reserva é preciso ir até uma concessionária nestes locais já citados ou então acessar o site oficial do carro. Lá há uma área onde pode preencher seu pré-cadastro e também todas as informações que precisar do modelo.

O valor exato do primeiro carro elétrico no Brasil ainda não foi revelado, mas especula-se que ficará na faixa de R$ 200 mil.

Entre as principais características do veículo estão o motor de 172 cv e 25,5 kgfm que permite andar de 130 km a 160 km, podendo aumentar 20 km se utilizado no modo ECO PRO e 40 km no ECO PRO+. Existe ainda outra versão que possui um motor à combustão interna de dois cilindros que oferece 34 cavalos, com 650 cilindradas, fazendo com que a bateria aguente por cerca de 300 km.

O BMW i3 pode ir de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos e de 30 a 70 km/h em 2,5 segundos, atingindo até 150 km/h e contando com uma distribuição de peso de 50:50, além de tração traseira.

Dê a sua opinião:

E você, acha que será uma boa ideia este lançamento do primeiro carro elétrico no Brasil? Tem interesse em comprar um? O que achou do preço e das características do modelo?

Comentários

Isaque - 24 de agosto de 2014 às 17:07

Bom dia,

A maioria do público que pode pagar por um carro elétrico aqui no Brasil só pode ser político corrupto, os grandes traficantes destruidores da alma, grandes atrizes pornô, playboyzinhos, jogadores de futebol, lutadores que arrebentam o nariz dos outros e que não fazem nada de produtivo e espiritual, intelectual ou material a não ser se divertir. Não ganho nada com isso, a não ser perder tempo, não vi um dia o jogo ou aquela palhaçada de bilhões jogados fora enquanto poderia ter investido na educação dos jovens e investir na produção da tecnologia keshe no Brasil para ter tecnologia de verdade.

Essa tecnologia da BMW é um lixo diante da tecnologia Keshe, ela precisa de atualização. Enquanto isso, profissionais que merecem ser mais valorizados, um médico que faz cirurgias no HGE e salva vidas não ganha o que o jogador de futebol ganha. Isso é justo? Qual a profissão de verdade tem mais valor pra você, um médico ou um jogador de futebol? Não sou contra os esportes mas é injusto tirar valor daquilo que merece mais valor para colocar em outro que merece menos valor. A propósito, reconheço a BMW é uma grande marca, mas de fato se tornará mais marca quando adotar tecnologias da fundação keshe.

Obrigado.

Postar um comentário