Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

Saiba como a venda de carros aumentou em 2018

Existe uma expectativa oficial de que as vendas de veículos novos no Brasil deverá ser 12,4% superior ao registrado em 2017, conforme a Fenabrave, que representa as concessionárias.

1º. Semestre de 2018

A venda de veículos subiu 14,5% no 1º. semestre de 2018, com um total de 1.166.663 unidades emplacadas de janeiro a junho, de acordo com a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores, Fenabrave. Em 2017, no mesmo período, o número foi de 1.019.208 veículos vendidos.

Saiba como a venda de carros aumentou em 2018

imagem: Carros novos 2018 no pátio das montadoras.

Junho de 2018: alta de 3,7%

Em junho, as vendas de veículos foram de 201.987 unidades, com um crescimento de 3,7% em relação a junho de 2017, que registrou venda de 194.796 unidades comercializadas. Em relação a maio, no entanto, as vendas permaneceram praticamente estáveis, com um aumento de apenas 0,06%.

Ainda de acordo com a Fenabrave, no mês de junho houve um efeito da Copa do Mundo na Rússia, para diminuir as vendas. Nesse mês, a média diária de vendas de carros, caiu de 8.975 unidades para 8.743 unidades, ou seja, 5 mil emplacamentos a menos. Depois disso, a greve dos caminhoneiros exerceu uma forte pressão para derrubar as vendas, porque produziu uma grande desconfiança no consumidor. Esses altos e baixos levaram a uma revisão nas estimativas de vendas para 2018.

Saiba como a venda de carros aumentou em 2018

Fonte: Hyndai HB20

Vendas de veículos em julho

No mês de julho as vendas de veículos haviam acumulado um aumento de 14,9% e na comparação com 2017 haviam subido 17,7%, segundo a Fenabrave.

Considerando os sete primeiros meses do ano, entraram em circulação mais de 1,38 milhão de veículos novos. Somente no mês de julho, foram 217.506 unidades vendidas. Esse foi o melhor resultado mensal desde janeiro, acima do que foi registrado no mês de abril.

Os automóveis, que constituem o maior segmento do mercado de veículos, estiveram com vendas em elevação, num total de aumento de 13% no ano, correspondendo a quase 1 milhão de unidades.

Os caminhões mostraram um grande crescimento em 2018, com um total de vendas de 39.005 unidades, enquanto que em 2017 foram 25.981. Em julho, a alta foi de 47,4% a mais do que no mesmo mês de 2017.

A venda de ônibus também mostrou recuperação, com aumento de 18% em comparação com 2017. Os comerciais leves tiveram uma alta de 17,8%.

As marcas mais vendidas

Se forem analisados somente os carros de passeio, as picapes e SUVs, a marca líder até o momento este ano é a Chevrolet, com 16,8% das vendas. A Volkswagen está em segundo lugar e Fiat em terceiro, conforme o quadro abaixo:

Colocação Marca % de vendas
1 General Motors 16,88
2 Volkswagen 14,82
3 Fiat 13,07
4 Ford 9,53
5 Hyundai 8,61
6 Renault 8,42
7 Toyota 7,99
8 Honda 5,58
9 Jeep 4,43
10 Nissan  4,07
11 Outros 7

Fonte: G1 Globo

Modelos mais vendidos

 Saiba como a venda de carros aumentou em 2018

Fonte. Chevrolet Onix.

Nos primeiros sete meses de 2018, o Chevrolet Onix foi líder, seguido pelo Ford Ka e o Hyundai HB20. Veja no quadro as colocações dos 10 mais vendidos:

Colocação Modelo % de vendas
1 Chevrolet Onix  16.856
2 Ford Ka  9.558
3 Hyundai HB20  9.124
4 Volkswagen Gol 6.631
5 Fiat Toro 6.226
6 Volkswagen Polo 5.828
7 Fiat Strada 5.765
8 Fiat Argo 5.476
9 Jeep Compass 5.360
10 Renault Kwid 5.203

Fonte: G1 Globo

Mês de setembro teve alta em relação ao ano passado

Se compararmos com o mês de agosto deste ano, os números das vendas de setembro mostraram queda de 14,2%. O acumulado de 2018 revelou alta de 14% até setembro. No entanto, em relação a setembro de 2017, a alta foi de 7,1%.

Foram 213.350 unidades vendidas no Brasil, em setembro de 2018, de acordo com o balanço publicado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

 Saiba como a venda de carros aumentou em 2018

Imagem: Volskwagen Gol 2019.

O total acumulado de 2018, até setembro, foi de 1.846.086 veículos. Em 2017, esse número era de 1.619.732 , portanto, uma alta de 14%. Essa estatística se refere ao total de licenciamento que inclui carros, caminhões, comerciais leves e ônibus novos.

Se quisermos saber apenas os números em relação a carros e comerciais leves vendidos em setembro, retirando-se da conta os ônibus e caminhões, teremos 204.733 unidades emplacadas, contra 193.557 de agosto de 2017, com um aumento de 5,7%.

 Saiba como a venda de carros aumentou em 2018

Imagem: Ford Ka.

Entretanto, na comparação com agosto deste ano, o índice de vendas é de 14,4% menor, já que o total de unidades vendidas em agosto foi de 239.227. O total de carros e comerciais leves vendidos de janeiro a setembro foi de 1.779.675 unidades, bem maior do que o total acumulado de 2017, que era de 1.573.508, um percentual de 13,1% de aumento.

O Chevrolet Onix continuou sendo o carro mais vendido do país, a segunda colocação foi do Ford Ka e o terceiro colocado foi o Hyundai HB20.

De acordo com o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Junior, houve uma retomada em relação à baixa que aconteceu no período da crise e que vem se mantendo consistente. Segundo ele, os primeiros três trimestres do ano poderiam ter sido melhores se não tivesse acontecido a greve dos caminhoneiros, a Copa do Mundo e as eleições. Esses eventos importantes produziram um compasso de espera na população, que resolveu adiar a compra de automóveis.

O mês de setembro teve quatro dias úteis a menos do que no mês de agosto, o que se refletiu nas vendas, porque quatro dias úteis correspondem a aproximadamente a venda de 60 mil veículos, segundo Alarico Assumpção Junior.

Por dia foram vendidos, em média, 10.775 unidades nos dias úteis do mês de setembro deste ano. Em agosto, a média diária foi de 10.401 unidades, em 23 dias úteis.

Ainda segundo o representante da Fenabrave, o índice de confiança do consumidor vem sendo positivo, com relativa manutenção de empregos. Esses são pontos favoráveis, que, somados à estatística das vendas, trazem uma expectativa positiva, que reajustou para mais a previsão de crescimento até o final deste ano.

Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *