Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

Como funciona o seguro para carros financiados

Adquirir um automóvel ainda é sonho de muitos, no entanto, muitas pessoas não possuem o dinheiro necessário para que a aquisição possa ser feita à vista e é importante saber como funciona o seguro para carros financiados.

Para concretizar esse objetivo do tão sonhado carro existe a opção de financiamento de automóvel, que permite a aquisição do veículo enquanto você paga por ele durante um tempo determinado.

Ao optar pelo financiamento, além de ajustar as parcelas ao orçamento, outras medidas devem ser tomadas para preservar essa conquista. A contratação de um seguro é uma delas Na contratação do seguro para o carro financiado o segurado experimenta a tranquilidade de saber que o investimento estará protegido.

seguro para carros financiados

Mas na prática, como funciona o seguro para carros financiados?

A primeira providência ao contratar um seguro para carros financiados é informar esse fato ao corretor. É uma informação fundamental para garantir a cobertura do veículo em eventuais sinistros.

Estando com a apólice vigente e em dia, se houver uma perda parcial, ou apenas atendimento a veículos de terceiros envolvidos no acidente, nada muda. O segurado pagará a franquia e a seguradora pagará os demais custos para consertar o veículo. No caso de atendimento a terceiros não haverá pagamento de franquia.

No caso de perda total, por roubo, furto ou colisão, o processo é um pouco diferente. Por estar alienado para o banco ou financeira, a propriedade do bem é do credor e serve como garantia para o financiamento. Desta forma, mesmo que o veículo seja roubado, por exemplo, a dívida permanece.

Através da contratação de seguro para carros financiados, o segurado terá três opções para realizar o acerto da dívida com a instituição financeira e recebimento de indenização.

Se o segurado tiver recursos, ele pode quitar o saldo do financiamento e receber a indenização integral da seguradora após a desalienação do bem.

Caso o saldo da dívida seja elevado e o segurado não tiver recursos para a quitação, a financeira informará formalmente o saldo devedor e a seguradora pagará diretamente à financeira o valor devido, até o limite contratado na apólice. A diferença entre o valor pago ao credor e o valor da indenização integral é, então, transferido para o segurado.

Já para quem não tem como quitar a dívida junto ao banco, ou tem um saldo devedor maior que o valor integral da indenização, existe a possibilidade de substituir o bem em garantia no contrato.

A instituição financeira, no entanto, não é obrigada a aceitar essa alternativa. Mas é possível negociar a chamada “substituição da garantia”, informando que a indenização será usada para comprar outro carro, que deverá ser alienado no lugar do anterior.

A seguradora também deverá ser informada de que essa é a opção escolhida.

É importante ressaltar que a indenização do seguro sempre se dará até o valor contratado e cobre apenas o valor do bem, não os juros do financiamento. Mas quando se antecipa o pagamento de uma dívida, paga-se apenas o principal. O banco não pode mais cobrar juros sobre a quantia que está sendo amortizada.

Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *