Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

A troca de óleo do motor do carro é um procedimento obrigatório, que deve obedecer a periodicidade indicada. O lubrificante perde sua viscosidade e condições de limpeza, o que pode danificar o motor.

Trocar o óleo do motor na hora certa é essencial para o carro. Muitos motoristas desatentos podem deixar de providenciar esse procedimento simples. O lubrificante protege as peças do motor, reduzindo o atrito no seu funcionamento, repelindo a ferrugem e ajudando no resfriamento. Depois de muito uso, ele deixa de cumprir essas funções, ocasionando perda de potência, até o extremo de fundir o motor.

Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

Imagem: autopapo

Enquanto o carro está na garantia, existe uma facilidade maior para o proprietário, é só seguir o manual do carro e o plano de revisões indicado pela montadora, que inclui a troca de óleo do motor. Quando a garantia acaba, é preciso ficar atento, para que o motor do carro tenha vida longa.

Quando é preciso trocar

É importante consultar sempre o manual do carro. Uma grande maioria de veículos atualmente tem a troca indicada a cada 5.000 km ou 6 meses se tiver uso severo ou um ano se tiver uso leve. Ou uma ou outra condição deve ser respeitada. Ao mesmo tempo deve-se trocar o filtro do óleo, porque ali se acumulam resíduos que podem sujar o lubrificante novo.

Alguns modelos tem recomendação para trocar o óleo do motor com quilometragens menores, como a cada 4.000 km, por exemplo, ou a troca deve ser a cada 10.000 km, com óleo especial para essa quilometragem. O manual do carro indica a periodicidade correta.

Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

Imagem: g1.globo

O que é uso severo e uso leve

A utilização severa do carro ocorre nas grandes cidades. Segundo especialistas, os carros que trafegam no trânsito congestionado das cidades, com distâncias curtas, em que faz vários trajetos por dia, de casa para o trabalho, de casa para a escola, de casa para o supermercado. Nas estradas de terra o uso também é considerado severo, devido à contaminação do óleo provocada pela sujeira. Nessas condições, a troca do óleo deve ser em intervalos menores.

O uso leve é o que caracteriza os veículos que rodam em boas estradas, por longas distâncias. Nesse caso, a periodicidade das trocas é menor, em muitos casos a cada 10.000 km ou um ano, o que ocorrer primeiro.

Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

Imagem: autopapo

Siga o manual e deixe de lado os palpites

Muitas vezes é preciso ficar alerta com os palpites dos frentistas para trocar o óleo. Na verdade muitos querem vender os estoques dos postos e empurrar uma troca antes da hora. Opiniões sobre a cor do óleo, se está escura ou sobre perda da viscosidade, não podem ser levadas em conta se o prazo da troca estiver sendo obedecido.

Aditivos no óleo lubrificante são dispensáveis. Os óleos produzidos atualmente têm todos os componentes para o melhor funcionamento possível. Se estiver sendo usado o lubrificante indicado pelo manual do carro, as necessidades do motor estarão sendo atendidas. Além disso, muitos aditivos para lubrificantes não têm eficácia comprovada e até mesmo podem prejudicar o desempenho do lubrificante, por alterar a sua formulação química.

Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

Imagem: quatrorodas

Troca de óleo do motor: o jeito certo

Segundo especialistas, o momento certo para se verificar o nível do óleo do motor é com o carro frio, na garagem, de manhã e antes de se ligar o motor. Dessa forma se pode ter certeza de que o óleo escorreu inteiramente para o cárter. Se você quer verificar o nível do óleo no posto de serviços, é preciso esperar de 5 a 10 minutos, para evitar distorções ao medir o nível na vareta. Já a troca de óleo deve ser feita com o motor quente, para que se possa ter certeza que todo o óleo usado vai sair do carter antes de se colocar o novo lubrificante.

Apesar do hábito dos frentistas de se oferecer para medir o nível do óleo quando paramos no posto para abastecer, esse não é o melhor momento para verificar o nível, com o motor quente. Os engenheiros da área garantem que o óleo está circulando em um motor quente e a vareta geralmente vai indicar que o nível está baixo. Qualquer proprietário do carro pode verificar por si mesmo com o motor frio e em lugar plano, pela manhã.

Não se deve completar o óleo com marca diferente daquele que foi usada antes. Óleos diferentes combinados podem levar à formação de borra, que prejudica muito o motor. Os motores mais antigos utilizavam menos tecnologia, possuíam alguns vazamentos e exigiam que se completasse o óleo. Os motores modernos raramente precisam que se complete o óleo.

A borra no motor  pode dar muita dor de cabeça e pesar no bolso. Ela provoca a perda de potência e até a fundição do motor. Para evitar que ela se forme é preciso realizar a troca de óleo do motor no prazo indicado pelo fabricante do carro.

Erros que precisam ser evitados na troca de óleo

Imagem: https://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/tudo-o-que-voce-precisa-saber-antes-de-trocar-o-oleo-do-carro/

Imagem: Formação de borra, possível causa está no desrespeito ao calendário de troca e mistura de óleos com bases diferentes.

  1. Não misturar óleos de bases diferentes, do tipo mineral, sintético ou semissintético. Entre eles o que muda é a base do lubrificante. A diferença é que o mineral é obtido diretamente através do refino do petróleo. O sintético passa por um processo industrial e as moléculas que o compõem são mais uniformes, o que promove benefícios como resistência à oxidação, melhor viscosidade, maior poder de limpeza, mais qualidade. O semi é a mistura dos dois. Essas características fazem com que eles preservem mais o motor, conferindo maior durabilidade. A recomendação é sempre seguir o manual do carro, alguns restringem o uso do óleo sintético, mas se não houver nenhuma restrição, o sintético tende a ser melhor opção.
  1. Não colocar óleo mineral em motores de óleo sintético. O óleo mineral é muito pesado e tem mais facilidade para se transformar em borra. Se o fabricante indica o óleo sintético, não misture.
  1. Não misture óleos de índices SAE e API diferentes.O API se refere aos aditivos do óleo. Com a mistura de aditivos diferentes, é possível haver uma reação química que leva à formação de borra. Por isso, seja fiel ao óleo estipulado pelo fabricante do carro. A mistura de lubrificantes com índices diversos de SAE modifica a viscosidade correta do produto.
Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

Imagem: g1.globo

  1. Não ultrapasse o limite da troca. Após o limite estipulado, existe uma margem de segurança de 1.000 km, mas é melhor não arriscar e respeitar o prazo.
  1. Não usar óleo de baixa qualidade. Pode ser um mau negócio comprar o óleo pelo preço mais barato. É melhor optar por marcas conhecidas, que garantem a eficácia.
  1. Cuidado com gasolina ou etanol adulterado. O combustível adulterado fatalmente irá alterar as propriedades de lubrificação do óleo.
  1. Óleos modernos para motores modernos. Por gerarem maior potência e serem menores, os motores modernos atingem temperaturas mais altas. Eles exigem óleos sintéticos mais modernos e maior atenção.
  1. Não usar estopas para limpar a vareta. Estopas deixar resíduos e fiapos na vareta, que podem contaminar o óleo. Utilize papel absorvente para limpar a vareta nas verificações.
  1. Não usar aditivos complementares. Os óleos atualmente já contém um pacote de aditivos na sua composição. Alguns desses produtos podem até prejudicar o desempenho.
  1. Cuidado para não pingar óleo no motor. O lubrificante deve ficar apenas dentro do motor. Fique atento para que na hora da troca o óleo não respingue sobre o motor, porque poderá prejudicar o funcionamento das velas e outros componentes.
Veja os cuidados na hora de trocar o óleo do motor

Imagem: revistaautoesporte

  1. Feche bem o bujão. Esse é o nome dado popularmente à tampa que fecha o dreno do carter, que deve ficar bem aparafusado para não ocorrer vazamentos. Também não pode ficar muito apertado, o que pode danificar o item. Troque o óleo num profissional especializado, que saiba proceder da forma correta.
  1. Troque o óleo e o filtro do motor. O filtro contem sempre resíduos do óleo sujo, que pode contaminar o lubrificante novo e fazer com que ele envelheça precocemente. O filtro precisa sempre ser trocado junto com o óleo.
  1. Observe o nível máximo. O nível do óleo deve ficar entre a marca mínima e a máxima da vareta. O excesso de óleo é prejudicial e poderá levar a vazamento do óleo e danos nas velas e no catalisador.
  2. Não descarte o óleo em local impróprio. Os lubrificantes usados devem ser armazenados e enviados aos coletores autorizados pela ANP (Agência Nacional de Petróleo). O óleo utilizado é altamente poluidor para o meio ambiente e podem ser reaproveitados quando têm destinação correta.

Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *