Seta Balao

Simule o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

Como funciona o seguro para carros de leilão? Tire suas dúvidas!

É, sim, possível contratar seguro para carros de leilão — mas existem regras. Saiba quais são elas e como cuidar do seu bem no texto!

Adquirir um seguro para carros de leilão é um pouco mais trabalhoso do que para um carro “comum”. Isso porque, é necessário comprovar que o veículo está dentro da lei. Essa comprovação deve ser feita com o auxílio do Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Todo esse cuidado existe porque há casos em que o carro é vendido de modo irregular. Por exemplo: ele pode ter tido o chassi alterado após um acidente.

Se não possui essa informação, o consumidor pode não o informar à seguradora. Então, a empresa segurará um veículo bem diferente do que espera.

Nesse nosso exemplo, é bastante provável que o carro tenha mais chances de sinistro. Afinal, ele já sofreu um acidente grave o suficiente para ter o seu chassi trocado. Se entendesse incorretamente o risco do veículo, a seguradora poderia sair no prejuízo.

Pior: ela poderia alegar que o usuário agiu de má-fé ao não relatar as reais condições do carro. Assim, a indenização seria negada após um novo sinistro, deixando o segurado no prejuízo.

Para evitar problemas desse tipo, as seguradoras exigem um laudo de inspeção veicular feito pelo Detran. Por meio dele, você conseguirá comprovar que o carro está dentro da lei, e também indicar quais são suas reais condições. Especialmente mecânicas.

Somado a esse laudo, é essencial tomar outros cuidados. Não só na hora de contratar um seguro para carros de leilão, mas também para adquirir veículos desse tipo. Veja a seguir!

Como funciona o seguro para carros de leilão? Tire suas dúvidas!

Imagem: Getty Images

Quem pode leiloar um carro?

O primeiro passo para se resguardar de um mau negócio é avaliar bem o leilão. Primeiro: ele deve ter sido autorizado pela Prefeitura Municipal da sua cidade. Isso te dará mais segurança de que os carros vendidos estão legais e em boas condições.

Com a autorização da Prefeitura, bancos, seguradoras e frotas de empresas podem leiloar um carro. Assim como uma pessoa física que deseje vender seu veículo. Nesse caso, será necessário terceirizar o processo a uma empresa especializada em leilões.

Outra dica importante é fazer uma vistoria prévia no carro, antes de adquiri-lo. Para isso, você deverá contar com o auxílio de um mecânico de confiança. O profissional poderá dizer se o auto está em bom estado e se vale a pena adquiri-lo. Afinal de contas, podem haver casos em que o conserto do veículo será tão caro, que sua compra gerará prejuízo.

Finalmente, tenha atenção a todos os documentos do veículo e do leilão. Eles devem estar claros e detalhados, pois isso te dará mais segurança sobre as informações.

Que tipos de veículos leiloados fazem seguro?

Existem vários tipos de veículos leiloados, mas apenas alguns deles podem fazer seguro. A restrição acontece porque, em algumas situações, as seguradoras não aceitam o risco de proteger o carro.

Normalmente, a negativa de uma seguradora acontece porque o risco de sinistro será alto. Consequentemente, as chances de que uma indenização precise ser paga são maiores. Prejuízo para a seguradora.

Sendo assim, explicamos a seguir quais os tipos de carro leiloado, dizendo quando será possível contratar seguro para carros de leilão ou não. Acompanhe!

Carro com sinistro leve

  • Posso contratar seguro? NORMALMENTE SIM

Se o veículo leiloado já sofreu qualquer sinistro, isso provavelmente será percebido pela vistoria no carro. Assim, a seguradora vai avaliar qual a gravidade do sinistro, e se ele deixou “sequelas”. Quando o dano é leve, não costuma haver tantas consequências. Então, o seguro pode ser contratado.

Carro com sinistro médio ou grande

  • Posso contratar seguro? DIFICILMENTE

Quando o auto sofre um sinistro mais grave, é provável que as avarias deixem “sequelas”. Então, as chances de novos sinistros acontecerem são grandes.

Mas ainda há saída, com um seguro mais básico. A proteção contra roubo e furto do carro não levará em conta qualquer sinistro anterior. Por isso, poderá ser facilmente contratada.

Porém, com o seguro básico, em caso de qualquer outro sinistro o motorista arcará sozinho com o prejuízo. Afinal, a seguradora não oferecerá proteção.

Carro com “sinistro recuperado” ou “sinistro indenização”

  • Posso contratar seguro? NÃO

Ter um carro com “sinistro recuperado” significa que o auto sofreu um grande dano. Se a situação foi mais grave, as consequências para o veículo provavelmente se mantêm. Especialmente na sua mecânica. Nenhuma seguradora quer correr o risco de pagar uma indenização tão cedo.

O mesmo acontece para um carro com “sinistro indenização”. Afinal de contas, isso significa que o auto terá sido recuperado após 75% de dano com um sinistro (perda total). Comprar um carro assim é “comprar sucata”.

Carro de financiamento

  • Posso contratar seguro? SIM

Um carro de financiamento é aquele que foi “tomado” do consumidor porque ele não pagou as prestações. Por isso, é bem comum que ele esteja em perfeito estado. Se o laudo do Detran mostrar isso, a seguradora não verá problemas em proteger o veículo.

Carro com chassi remarcado

  • Posso contratar seguro? NORMALMENTE SIM

Por fim, há a possibilidade de contratar seguro para carros de leilão com chassi remarcado. Normalmente, o chassi é remarcado quando o auto sofre um acidente que danificou a marcação. Ou então, por corrosão do tempo. Se os danos avaliados não forem graves, a proteção será fácil de se adquirir.

Seguro para carros de leilão: passo a passo

Se você leu esse texto até aqui, já sabe bem quando é possível contratar seguro para carros de leilão. Agora, é hora de descobrir como fazer essa contratação! Veja as etapas abaixo.

1. Solicite a vistoria do Detran

O primeiro passo para contratar um seguro para carros de leilão é fazer a vistoria com o Detran. Aliás, essa etapa será necessária até para a regularização do veículo, transferindo-o para o seu nome.

Com o laudo em mãos, você poderá procurar a seguradora que deseja e solicitar a cotação do seguro. A empresa poderá, se quiser, realizar uma nova vistoria no carro.

2. Solicite a cotação da seguradora

Para cotar o seguro do carro, é preciso informar à seguradora quais as coberturas desejadas para o veículo. Você poderá protegê-lo, por exemplo, contra colisões, queda de objetos sobre o auto, incêndio, furto, roubo e mais. O número de coberturas influencia diretamente no custo da proteção.

Outro fator que influencia o custo do seguro é o perfil do motorista. Ou seja, sua idade, tempo de CNH, histórico de sinistros etc. Quanto mais experiência ao volante e menos problemas o condutor tiver registrado, maiores as chances de adquirir um seguro mais barato.

Vários outros fatores são considerados para a cotação, e serão indicados pela seguradora. Então, a empresa avaliará o carro e seu risco de sinistro, apresentando os custos da proteção.

3. Aguarde o retorno da cotação

Finalmente, a companhia dirá como e por quanto vai segurar o carro. Então, vocês poderão negociar as condições e chegar a um bom acordo. Com a assinatura do contrato, o veículo estará protegido.

De qualquer forma, não significa que seu seguro é garantido. Como citado ao longo do texto, alguns tipos de carros leiloados dificilmente são segurados.

Sem contar que as seguradoras podem considerar o perfil do condutor de risco, não valendo a pena, financeiramente, protegê-lo. Logo, ela poderá se recusar a garantir o serviço.

4. O que fazer se a seguradora negar o seguro?

Independentemente do motivo da negativa de um seguro, a empresa deverá justificá-la. Assim, o consumidor pode tentar corrigir o que está incorreto e solicitar uma nova cotação.

Caso ainda não seja possível contratar o seguro, você pode tentar proteger o carro contra furto e roubo. Como as coberturas são mais simples, elas costumam ser mais facilmente contratadas.

Ainda vale dizer que uma seguradora pode não aceitar o carro, mas outra assim. Então, é fundamental fazer  cotações em diferentes empresas. Até porque, com esse cuidado, você poderá encontrar um preço mais em conta.

Atenção! Seguro para carro de leilão tem FIPE reduzida

Na hora de fazer o seguro para carro de leilão, um ponto chama a atenção: o preço considerado para o veículo. Esse preço é determinante para a indenização em caso de sinistro, que será paga pela seguradora.

Basicamente, um carro leiloado não utiliza a tabela FIPE total. Ou seja, não utiliza o valor total, indicado na tabela FIPE, como o valor de mercado daquele veículo. Principalmente porque, no leilão, o auto terá sido comprado por um preço bem abaixo.

Assim, tenha atenção ao contrato e aos valores que serão pagos no caso de sinistro do veículo. Isso te dará mais segurança, pois dirá o quanto você terá direito para a cobertura dos seus prejuízos.

Pronto! Agora você já sabe tudo o que precisa sobre o seguro para carros de leilão. Não se esqueça de realizar cotações em várias empresas, e cuidado ao comprar seu carro. Conhecer a procedência e reais condições do veículo é fundamental.

Leia mais artigos sobre:
Jeniffer Elaina da Silva

Especialista em seguros, Jeniffer Elaina trabalha com redação, revisão e otimização SEO desde 2012. É formada em Marketing com pós em Administração na FGV e atualmente cursa Gestão de Seguros. Possui mais de 2.000 textos e 5 e-books publicados na área de seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *