dcsimg

Por que estacionar o carro é um desafio para motoristas

Pesquisa realizada confirmou que quase metade dos acidentes de carro acontece ao manobrar para estacionar. 

Por que estacionar o carro é um desafio para motoristas

Pesquisa realizada pelo Centro de Tecnologia Allianz e a Continental AG, analisou 3.500 ocorrências cobertas pela seguradora. De forma surpreendente, a maioria dos acidentes cobertos não aconteceram nas vias públicas ou nas estradas, mas sim durante as manobras de estacionamento. A incidência aumentou mais de 30% nos últimos dez anos.

Esse tipo de ocorrência corresponde a 44% dos incidentes com perdas e danos materiais, sendo que em 39% dos casos foram colisões com danos plenos, informou o representante da Allianz. Os incidentes aconteceram, em 80% dos casos, quando o motorista sai de uma vaga e 16% na hora em que entra na vaga.

As causas dos acidentes apontadas na pesquisa:

Por que estacionar o carro é um desafio para motoristas

  1. Design dos veículos

A análise dos dados demonstrou que caminhonetes e vans estão em maioria nos acidentes registrados, cerca de 30% a mais do que veículos compactos ou pequenos. Isso demonstra que os novos modelos de veículos, o trânsito intenso nas cidades e as inovações nas vias públicas estão contribuindo para o aumento no número de acidentes no momento em que são exigidas manobras para o estacionamento.

Design dos veículos

Os modelos atuais de carros e utilitários ficaram mais largos e longos, mas o tamanho das vagas, todos sabem que permanece o mesmo. Isso não significa que carros nos modelos antigos e os compactos cometam barbeiragens ou imperícias na hora de ocupar uma vaga, ocupando duas.

Uma constatação feita é que os novos modelos reduziram a visibilidade dos condutores, ao mudar as janelas traseiras e laterais em seus novos projetos de design e estrutura. Portanto, se você comprou um utilitário alto, longo, largo, com design arrojado, fique muito atento na hora de estacionar e evite vagas estreitas.

  1. Marcha à ré – o desafio campeão

As ocorrências pesquisadas mostraram que a marcha à ré é o grande desafio para muitos motoristas. A grande maioria, mais de 70% dos incidentes na hora de estacionar ou manobrar ocorre quando se dá marcha à ré. Também quanto à indenização por danos materiais plenos, esse tipo de ocorrência responde por 85% dos pedidos.

Entre todos os pedidos de indenização analisados, 41,7%, ou seja, quase a metade, foi em decorrência da marcha à ré, quando um veículo colidiu com outro que estava parado, na manobra para estacionar. Existem também as ocorrências em que dois carros colidiram quando ambos estavam estacionando e usando a marcha à ré, numa incidência de 20%.

Marcha à ré – o desafio campeão

  1. Lesões corporais ao estacionar ou manobrar

O seguro de automóveis é acionado quando ocorrem acidentes durante as manobras de estacionamento que resultam em lesões corporais. O percentual dos sinistros em que este problema ocorre é de 4%, bem menor do que os incidentes com apenas danos materiais, mas em acidentes que podem ser graves, porque incluem atropelamentos de pedestres e ciclistas. Um terço desses atropelamentos é constituído por pessoas com mais de 65 anos. A questão é grave, porque se trata de acidentes provocados por motoristas que não são suficientemente cuidadosos ao dar a marcha à ré.

Lesões corporais ao estacionar ou manobrar

De acordo com o Código de Trânsito brasileiro, em seu artigo 194, é proibido transitar em marcha à ré, salvo na distância necessária a pequenas manobras e de forma a não causar riscos à segurança. A infração ao artigo é grave, com multa.

A manobra em marcha à ré, quando feita para se sair de uma vaga ou garagem e acessar a via pública, deve ser com redobrada atenção, para não oferecer perigo aos que estão ali passando. Segundo a jurisprudência, o acidente provocado por marcha à ré impõe o dever de indenizar à vítima transeunte que tenha sido atropelada, e em caso de falecimento, a indenização por danos morais é devida à família.

  1. Sistemas de auxílio de estacionamento

A pesquisa realizada mostrou que sistemas de alerta para auxílio de estacionamento, que atualmente estão sendo instalados nos veículos, não tem real utilidade. Eles não protegem as laterais dos veículos e muitos condutores, ao confiar nesses dispositivos acabam por não agirem rapidamente, em caso de necessidade. Outros sistemas inteligentes que estão sendo projetados, para auxílio ao motorista, como freios autônomos de emergência em manobras e assistentes de estacionamento, poderão reduzir mais significativamente no futuro os problemas com manobras ao estacionar.

Sistemas de auxílio de estacionamento

Quando acontecem acidentes leves

Pequenos acidentes podem acontecer o tempo todo, ao se sair do estacionamento ou de uma vaga. Geralmente o motorista fica nervoso, e quanto mais informações você tiver, melhor agirá no momento. Algumas dicas podem ajudar:

  1. Se for batida, anote a placa, marca e modelo do outro carro. Sempre existe a possibilidade do outro motorista querer fugir, por isso o melhor é ler a placa do carro e repetir até que possa anotar. O melhor também é fotografar com o telefone celular.

Sistemas de auxílio de estacionamento

  1. Ligar o pisca alerta. É importante, para que outros motoristas percebam que você está parado porque tem problemas. O pisca alerta evita também que aconteçam outros acidentes. 
  1. Chame a polícia. Muita gente deixa de chamar a polícia, porque acha que isso só é necessário em acidentes com vítimas. Mas você deve ligar para o 190, isso é importante para realizar o boletim de ocorrência no local e porque as seguradoras investigam quem é o responsável pelo pagamento. 
  1. Mova o carro para o acostamento com cuidado. Se o carro estiver funcionando, mova para o acostamento com cuidado, para liberar o trânsito, mas não para muito longe, evitando dar a impressão de que está fugindo. 
  1. Somente desça do carro se for seguro. Se o acidente é pequeno, não haverá risco de incêndio. Se você descer do carro em uma rodovia, poderá ser atropelado. No meio do trânsito, sempre é melhor descer pela porta do acompanhante.

Sistemas de auxílio de estacionamento

  1. Verifique se ninguém está ferido. Procure se não há contusões ou outros ferimentos em você mesmo e nos passageiros do veículo. 
  1. Procure por testemunhas. Procure verificar se há pedestres ou outras pessoas na cena do acidente, para ajudar a determinar o que aconteceu realmente. Se possível, anote o nome e o telefone das testemunhas. 
  1. Anote as informações do outro motorista. Anote nomes, telefones e endereços. As informações das companhias de seguro dos motoristas devem ser trocadas, como nome da empresa, telefones, número da apólice. 
  1. Ligue para sua companhia de seguros. Sua seguradora deve ter um 0800 para emergências. Depois ligue para o seu corretor. As informações sobre os números estão no cartão plástico que você recebeu, quando fez o seguro. Você vai precisar de cópia do boletim de ocorrência para solicitar a cobertura. Se for um acidente pequeno, será mais barato pagar pelas peças substituídas do que pagar a franquia. Seus direitos e limites de franquia estão em sua apólice de seguro.

Leia mais artigos sobre: ,

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro a responder!

Postar um comentário