Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

O que significa restrição técnica no seguro auto?

Compartilhe nas redes sociais:

O mercado de seguro de automóvel costuma gerar muitas dúvidas, um bom exemplo é o termo restrição técnica no seguro auto. Quer descobrir o que ele significa? Então acompanhe esse artigo e entenda melhor o assunto!

Uma das maiores dificuldades encontradas pelos clientes no mundo dos seguros são as nomenclaturas. Muitos termos técnicos e palavras que às vezes não parecem ter nenhum sentido.

Como o termo “restrição técnica no seguro auto”, por exemplo. Que muitas pessoas não entendem exatamente o que significa. Se você se encaixa nesse grupo, acompanhe esse artigo e entenda melhor o assunto.

O que significa restrição técnica no seguro auto?

O que significa restrição técnica no seguro auto?

O termo restrição técnica no seguro auto é usado quando a seguradora, motivada pela identificação de riscos em relação à segurança ou eficiência dos equipamentos instalados ou encontrados no veículo, recusa a proposta de segurar o veículo.

Essa recusa pode acontecer por critérios estabelecidos unicamente pela seguradora, e podem variar de uma empresa para outra. Isso significa que, se sua proposta foi recusada em uma seguradora, pode ser que ela seja aceita em outra.

Por que a seguradora pode recusar minha proposta de seguro?

Todas as seguradoras trabalham com o direito de negar uma proposta de seguro caso o veículo ou o perfil do condutor apresente uma margem muito grande de riscos. Essa negativa pode acontecer por diversas situações e sempre deve ser dada com uma justificativa.

No caso, restrição técnica no seguro auto, é uma justificativa relacionada aos equipamentos de segurança do veículo, ela é dada quando a seguradora considera que estes não estão em condições adequadas, e os riscos de acidentes ou problemas são maiores.

Outro motivo que leva muitas seguradoras a recusarem propostas de seguro, é a discordância de informações. Muitas vezes, os clientes na intenção de conseguir preços menores em sua apólice, passam informações que não são exatamente verdadeiras. E durante o processo de análise que costuma demorar 15 dias, assim que toda a documentação é entregue. A empresa acaba encontrando informações desconexas por isso, recusam a proposta de seguro.

No entanto, vale lembrar que, a seguradora tem um prazo limite de 15 dias para se recusar a aceitar a proposta de seguro, caso isso não acontece dentro desse período, ela não poderá mais fazê-lo. Sendo obrigada a aceitar o veículo e o cliente como segurados.

Essa é uma norma estipulada pela SUSEP – Superintendência de Seguros Privados, órgão responsável por regulamentar o setor de seguros no Brasil.

Principais motivos que levam a uma restrição técnica no seguro auto

Não existe um motivo único, ou regras e normas predefinidas que promovam a aceitação ou recusa de uma proposta do seguro auto. No entanto, é possível listar alguns motivos que são constantemente apresentados pelas seguradoras nas declarações de recusa da proposta de seguro, esses são:

  • Veículos com uma avaliação técnica negativa;
  • Carros antigos, acima de 15 anos de utilização, costumam ser negados por apresentarem mais chances de ter defeitos;
  • Carros que já não são mais fabricados, possuem mais dificuldade para a reposição de peças;
  • Carros com o chassi adulterado ou remarcado, isso pode ser sinal de um veículo que já foi roubado;
  • Carros com problemas na documentação ou no emplacamento;
  • Automóveis importados, de alto custo, porque eles costumam ter peças de valor muito alto para reposição e indenizações também muito elevadas.

Esses são alguns dos principais motivos que levam as seguradoras a recusarem propostas de seguro. Visto que, caso ela aceite um veículo dentro de uma, ou mais, dessas condições, e um sinistro venha a acontecer, ela pode acabar saindo no prejuízo.

Nem toda recusa é promovida pelo veículo

Em muitas situações, a recusa da seguradora não acontece devido a uma restrição técnica no seguro auto, ou problemas relacionados ao veículo. O condutor do veículo também é analisado, e pode ser motivo de recusa da apólice. Veja quais são alguns dos motivos que levam as seguradoras a recusarem a prestação de serviço com base na análise de perfil do motorista:

  • Condutores com longos históricos de acidentes e sinistros, costumam ser recusados;
  • Pessoas com histórico de inadimplência;
  • Condutores com a CNH suspensa;
  • Pessoas que estejam respondendo ou já tenham respondido processos judiciais ou administrativos devido, embriaguez ao volante.

Ou seja, o estilo de vida e o histórico do motorista também contam na hora da análise de aceitação ou recusa da seguradora.


Compartilhe nas redes sociais:
Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *