Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

Uber e outros aplicativos de carona, quais as novidades

Compartilhe nas redes sociais:

A Uber já chegou a mais de 50 cidades brasileiras. Nos últimos meses anunciou mudanças no seu modelo de negócios, alterando taxas cobradas, ganhos dos motoristas e um novo sistema de avaliação dos passageiros.

 No Brasil desde maio de 2014, o aplicativo Uber possui mais de meio milhão de motoristas cadastrados atualmente.

Em julho de 2018, a Uber anunciou mudanças no cálculo das corridas no Brasil. O cálculo de valores de taxas pagas pelos passageiros e dos ganhos dos motoristas passaram a serem calculados de acordo com a distância e o tempo da corrida.

Uber e outros aplicativos de carona, quais as novidades

Imagem: forbes.uol

As mudanças afetam passageiros e motoristas. A taxa fixa da cobrança dos motoristas, antes variando entre 20%, nos modelos Black e 25% no tipo X foi reformulada pela empresa. Nesse caso, o motorista não era remunerado se a corrida demandasse um tempo adicional ou se ele precisasse percorrer uma distância maior, para fugir do engarrafamento. A plataforma passou a adotar um sistema de cobrança de taxa que varia conforme a corrida, levando em consideração não apenas a distância, mas a situação do trânsito e climática no momento em que ela é realizada, o que determina o tempo gasto no percurso.

Preços dinâmico continua

As corridas vão continuar tendo um preço mínimo e “preço dinâmico”, que registra um valor mais alto conforme a demanda pelo transporte, o que está relacionado com o horário, condições do tráfego e condições climáticas, como chuvas e enchentes.

Portanto, o valor de um mesmo deslocamento pode não ser igual, podendo ser maior ou menor, tanto para a taxa paga pelo cliente, quanto para a quantia recebida pelo profissional. A mesma corrida pode custar R$ 80 às 8 horas da manhã, no horário de pico do tráfego e R$ 50 às 10:30, quando o transito está mais tranquilo e flui com mais rapidez.

Uber e outros aplicativos de carona, quais as novidades

Imagem: folha.uol

Mesmo no caso do passageiro ter aceito o valor da corrida na hora em que solicitou o transporte, o valor pode ser posteriormente atualizado, se a estimativa de tempo for modificada em função da melhora ou piora do tráfego e a diferença é restituída ao passageiro, se tiver sido cobrada a mais.

Taxa fixa acabou

Na cidade de São Paulo, por exemplo, o valor do km percorrido pelos motoristas parceiros era de R$ 1,40, que sofria um desconto de 25%, sendo pago R$ 1,05 líquidos. Agora o valor passou a ser R$ 1,05, o valor líquido, conforme comunicado da Uber.

Uber e outros aplicativos de carona, quais as novidades

Imagem: idgnow.com

Para os passageiros o preço final não será alterado com essas mudanças. Segundo o diretor da Uber no Brasil, Guilherme Telles, as mudanças visam aumentar o ganho dos motoristas parceiros.

A Uber cobra um valor fixo do passageiro, de R$ 0,75, a cada corrida, acrescidos dos impostos, que podem variar de cidade para cidade.

Aplicativo vai permitir gorjeta

O aplicativo vai permitir que os passageiros paguem gorjeta aos motoristas. A ferramenta foi lançada no Brasil recentemente. O dinheiro enviado através do recurso será enviado aos profissionais, sem a cobrança de taxas. A inovação foi anunciada em junho, para os usuários brasileiros.

Ao final de cada viagem pela Uber ou depois de entregas pelo Uber Eats, os usuários vão poder avaliar os motoristas e adicionar gorjetas. É uma opção que estará disponível para quem optar pelo pagamento por meios digital, não aparecendo para quem paga com dinheiro. É uma contribuição adicional e voluntária. O recurso já existia nos Estados Unidos e aqui foi pedido pelos motoristas da plataforma, para que os passageiros possam recompensar um esforço extra.

Uber e outros aplicativos de carona, quais as novidades

Imagem: são-paulo-estadão.

Avaliação dos usuários, com notas baixas serão banidos

Uber vai banir usuários com nota baixa; saiba como ver sua avaliação

A mudança começou em setembro, na Austrália e Nova Zelândia. Os passageiros vão precisar ficar atentos às suas notas, que são dadas pelos motoristas. A nota máxima é cinco, com nota quatro ou menor o passageiro começa a receber alertas e orientações para recuperar sua avaliação.

Os usuários com notas baixas vão correr o risco de serem suspensos. Se o passageiro continuar a usar o Uber e continuar a receber pontuação baixa, terá sua conta banida e não poderá mais utilizar o aplicativo. O Brasil, segundo a Uber, é um dos primeiros países a receber esse recurso.

A avaliação do motorista já existe e em caso de ser negativa, provoca a expulsão do profissional da plataforma. Recentemente, um motorista foi banido por abandonar uma passageira cega no meio do caminho, irritado porque ela insistiu que ele desligasse o ar condicionado.

Para o passageiro acompanhar as notas que recebe basta entrar no aplicativo e abrir a barra lateral da esquerda, através do ícone de três barras que fica no alto da tela, à esquerda. A aba que será aberta vai mostrar a quantidade de estrelas e a nota contém a explicação sobre a metodologia para o cálculo da avaliação.

Uber e outros aplicativos de carona, quais as novidades

Imagem: blablacar

Aplicativo de carona BlaBlaCar e os universitários

No estado de São Paulo, houve um grande impacto das tecnologias de mobilidade entre os universitários. A BlaBlaCar, que é o maior aplicativo de caronas intermunicipais do mundo, informou que 20% do volume de sua demanda é promovida pelo público universitário. No primeiro trimestre de 2018, as caronas entre cidades do interior do estado cresceram 230% em relação ao primeiro trimestre de 2017.

O fenômeno acontece porque é uma grande concentração de universidades em cidades do interior do estado de São Paulo, como é o caso de Rio Claro, Campinas, Araraquara e São Carlos. No total, são aproximadamente 600 instituições de ensino superior, concentrando dezenas de milhares de alunos, em alguns dos maiores polos de ensino superior do Brasil. Há uma mobilidade constante de estudantes entre cidades próximas e entre interior e a capital do estado e outros estados, utilizando o transporte rodoviário. O movimento é diário para chegar às salas de aula e semanal, para voltar para casa.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), em seu Censo da Educação Superior, 29% dos universitários brasileiros estudam em cidades diferentes da onde residem suas famílias. Se forem incluídos os estudantes de especialização, pós-graduação, mestrado ou doutorado, este número sobe para 32,6%.

As caronas sempre foram uma solução muito conveniente, porque, muitas vezes não há linhas diretas de ônibus entre essas cidades universitárias, e quando existem, os horários não favorecem os horários das aulas. Os aplicativos de carona, como o BlaBlaBla têm sido uma alternativa muito favorável, porque atende a essa necessidade, com conforto, segurança e preço justo.


Compartilhe nas redes sociais:
Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *