dcsimg

Saiba mais sobre o freio ABS e tipos de pastilhas

Depois de 2014, os freios ABS substituíram os freios a disco. Eles funcionam com uma variedade de pastilhas, com eficiência e preço variáveis. Conheça mais sobre esses importantes itens de segurança, bem como os tipos de pastilhas.

Para conseguir dirigir um veículo com segurança, é preciso confiar no freio! Sem a certeza de que ele está em boas condições de funcionamento, a possibilidade de acontecer um acidente é alta. É importante também conhecer a diferença entre os dois modelos de freios mais utilizados atualmente, o freio a disco e o freio ABS. Sabendo quais são suas características e os tipos de pastilhas, você terá mais informações para decidir na hora de comprar um carro.

Saiba mais sobre o freio ABS e tipos de pastilhas

Imagem: Ivei

Geralmente na compra de um carro usado, a informação sobre o tipo de freio tem muita importância, porque você dificilmente conhece a história do carro e sua procedência. A qualidade do freio, no caso de ser um ABS, faz com que esse item pese na hora da compra, porque é o freio que dá mais segurança para o motorista.

Imagem: Litoral Car

A sigla ABS, em inglês, significa  Antilock Braking System, que em português equivale a Sistema de Freio Antitravamento. Desde 2014, esse sistema se tornou obrigatório nos carros produzidos no Brasil, para todos os modelos e marcas, porque ele realmente significou um avanço.

O sistema ABS

Entre os benefícios do sistema ABS está o fato de impedir a derrapagem do veículo e, portanto, ele aumenta a estabilidade, principalmente quando em situações de emergência. Permite que o motorista utilize o freio enquanto desvia de obstáculos, fazendo com que a distância para a total parada diminua em 30%. Esse avanço significa uma redução no número de acidentes, que podem ser provocadas pelo travamento das rodas.

Imagem: R19Club

Como derivados do sistema ABS existem outras tecnologias, como o EBD (Electronic Brake Distribution) que significa Distribuição Eletrônica de Frenagem e o ESP (Electronic Stability Program) em português, Programa Eletrônico de Estabilidade. São sistemas que podem ser usados juntamente com o ABS, o que irá proporcionar um aumento na dirigibilidade do veículo, em qualquer condição, como frenagem em curva, pistas molhadas com desnível, e outras.

Funcionamento do ABS

O sistema de frenagem ABS funciona evitando que as rodas bloqueiem e entrem em derrapagem, quando o motorista pisa fortemente no pedal do freio. Dessa forma, ele evita a perda do controle do veículo.

O sistema tem sensores que monitoram a rotação das rodas em função da velocidade do carro. A rotação é medida e transmitida para a unidade de controle do freio. Se alguma das rodas está em perigo de travar, a unidade de controle intervém em milésimos de segundos, alterando a pressão da frenagem, o que garante que a roda não trave e, consequentemente, maior segurança.

Imagem: Eu Quero Saber Tudo

No uso cotidiano do carro, o motorista não vai perceber nenhuma diferença entre o freio ABS e o freio a disco. A diferença vai aparecer justamente na hora da frenagem de emergência. Nessa condição, haverá uma forte vibração e um ruído no pedal de freio, ao ser acionado fortemente. A vibração é provocada pela bomba de recalque, que empurra o fluído do freio em sentido contrário, para conseguir equalizar a pressão hidráulica do freio e impedir o travamento das rodas. Essa vibração e ruído são normais e nesse momento, o condutor não deve reduzir a pressão sobre o pedal do freio, porque estará neutralizando o funcionamento do sistema ABS e a distância até a frenagem total poderá aumentar. Portanto, para que as rodas não travem, é preciso manter a força sobre o pedal do freio, num caso de emergência.

Devemos prestar atenção ao tempo de vida útil de um freio, para que a manutenção seja adequada. O equipamento, como qualquer outro, tem uma vida útil. As pastilhas de freio, parte essencial do freio, tem um tempo determinado de duração e precisam ser trocadas com uma frequência determinada, conforme o modelo, o tipo de uso do carro e o estado de conservação das ruas de uma determinada cidade.

Quando estão gastas, as pastilhas emitem um rangido característico ou o freio não funciona instantaneamente, o que indica a hora de passar em uma oficina mecânica para fazer a troca. Isso deve ser feito antes que o desgaste da pastilha chegue ao disco, quando o custo do reparo será bem maior do que a simples troca.

As pastilhas de freio são peças pequenas, mas diretamente responsáveis por fazerem o carro parar. Ficam na ponta do sistema de frenagem e são, portanto, essenciais. Elas não podem falhar na hora em que você conta com o freio.

Tipos de pastilhas de freio

Imagem: QC Veículos

Cada um dos tipos de pastilhas do freio absorvem os impactos e fazem a maior parte do trabalho de frenagem, nas condições normais do tráfego. Elas aplicam pressão, em contato com o rotor do freio, para que o veículo pare.

As pastilhas de freio se localizam atrás das rodas do carro. Elas são discos planos, que reduzem a velocidade das rodas, até a parada. A mecânica de todos os tipos de pastilha é a mesma, a diferença está na qualidade e preço.

Existem diferentes tipos de materiais na composição das pastilhas de freio. A eficiência da pastilha precisa ser garantida pela sua qualidade. Em veículos pesados, por exemplo, as condições de uso são de pressão intensa e aquecimento, fazendo com que as pastilhas de freio tenham que resistir a um enorme estresse. A qualidade, nesse caso, faz toda a diferença. Veja os tipos de pastilhas:

Pastilhas orgânicas

Imagem: Ecopads

A pastilha de freio orgânica tem esse nome porque o material de que é feita é menos tóxico e mais seguro para o ser humano do que o asbesto ou amianto, do que eram feitas as pastilhas de freio anteriormente. O amianto ou asbesto é uma fibra mineral natural utilizada na indústria por ter boa qualidade isolante, ser isolante, incombustível, durável e flexível. Abundante na natureza, ele tem baixo custo.

Entretanto, apesar dessas propriedades, o asbesto ou amianto vem sendo abandonado por emitir um pó tóxico para o organismo.

Apesar dos materiais atuais que o substituíram serem menos poluentes, são também menos resistentes. As pastilhas de freio orgânicas não devem ser usadas em veículos pesados, mas apenas em carros mais leves. São também indicadas por serem macias e diminuírem o ruído de frenagem dos carros automáticos.

Para saber se as pastilhas de freio orgânicas precisam ser trocadas, basta verificar se ela está emitindo fumaça ou poeira, esse é o sinal indicativo da troca. O ruído que o freio emite em frenagens também justifica uma verificação.

Pastilhas metálicas

Imagem: Veículos Mercado Livre

As pastilhas de freio metálicas é um dos tipos de pastilhas e são feitas de uma liga de ferro, cobre, aço e grafite. São usadas pela maioria dos veículos atuais. São mais duráveis que as orgânicas e o preço é acessível. São eficientes na dissipação do calor e na frenagem. Entretanto, elas não são leves e acabam por ter um impacto negativo na eficiência do combustível e durabilidade das demais peças do sistema de freio.

As pastilhas metálicas tem um funcionamento ideal no calor. Com o frio, a sua eficiência diminui, o que pode aumentar o risco de acidentes, porque a capacidade de frenagem diminui. Em condições de aquecimento moderado, no entanto, é a opção de pastilhas com melhor custo benefício. A troca é indicada pelo exame na hora da revisão do veículo.

As pastilhas metálicas são muito duráveis, em relação às orgânicas, porque são muito duras. Mas não são tão resistentes quanto as de cerâmica.

Pastilhas de cerâmica

As pastilhas de freio de cerâmica são os tipos de pastilhas mais eficientes, resistentes e leves. Oferecem uma frenagem de alta precisão. A questão, entretanto, é o preço, porque seu processo de produção é sofisticado e caro. A cerâmica possui uma capacidade incomparável de dissipar o calor e, nesse sentido, a pastilha de cerâmica é a mais eficaz. Ela mantém sua eficiência mesmo depois de repetidas frenagens bruscas. Possui longa duração, pois seu desgaste é lento. Seu preço, entretanto, faz com que poucos veículos usem esse tipo de pastilha de freio.

Além de freios em ordem, o seguro auto garante sua segurança financeira contra danos que podem acontecer em diversas situações, como pisos alagados e chuvas fortes, que interferem na qualidade das pistas, e outros motoristas distraídos ou descuidados, que podem bater no seu carro.

Leia mais artigos sobre:

Comentários

Sanaira Silveira - 26 de Março de 2018 às 17:28

Boa tarde Adarlan,

Obrigada por comentar no SeguroAuto,
Para seu tipo de dúvida, aconselhamos você a procurar um profissional da área para que possa tirar sua dúvida.

Atenciosamente.

Adarlan Nunes - 25 de Março de 2018 às 22:43

Boa noite, gostaria de saber se existe diferença nas pastilhas de freio de um carro, com ou sem ABS eu acho que o pessoal está usando essa tática apenas para vender as pastilhas mais caro.

Postar um comentário