Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

Preciso de boletim de ocorrência para acionar o seguro do carro?

Por mais que estejamos por dentro das situações, sempre surgem algumas dúvidas. A necessidade de ter um boletim de ocorrência para acionar o seguro do carro é uma delas. Acompanhe esse artigo até o final e descubra a resposta para essa questão.

Poder contar com um seguro auto não é mais um luxo, e sim uma necessidade nos dias de hoje. Apesar de cada vez mais comum, o momento da contratação desse serviço envolve muitas questões, que podem deixar o cliente cheio de dúvidas.

E essas dúvidas precisam ser sanadas, antes que a apólice seja assinada e o contrato fechado. Apenas assim o usuário terá a certeza de contar com tudo o que precisa.

Mesmo depois de todo esse processo de contratação e as dúvidas sanadas, novas questões podem surgir ao longo da vigência do contrato.

Elas são ainda mais comuns quando acontecem os sinistros. Neste cenário, uma das principais questões é se será que preciso de boletim de ocorrência para acionar o seguro do carro.

Para responder essa e outras questões recorrentes após a ocorrência de um sinistro, preparamos esse artigo repleto de informações. Fique com a gente até o final e entenda melhor sobre esse assunto.

Preciso de boletim de ocorrência para acionar o seguro do carro?

Imagem: Getty

Quando devo acionar o seguro do carro?

O seguro do carro pode ser acionado sempre que um sinistro ocorrer com o veículo, seja ele de pequeno, médio ou grande porte.

O que deve ser considerado no momento desse acionamento não é o porte do acontecimento, mas sim o tamanho do estrago e a cobertura da sua apólice.

Imagine que  você voltou ao seu carro, que estava estacionado na rua, e encontrou as lanternas traseiras quebradas. Se você tiver a cobertura para vidros e lanternas, poderá acionar o seguro do carro para consertá-las.

Em todo o caso, lembre-se sempre que será cobrada uma franquia para que a seguradora realize o reparo. Por isso, é importante avaliar

se realmente compensa acionar o seguro nesse caso, ou se é mais interessante arrumar as lanternas por conta própria. Às vezes, o conserto das lanternas acaba saindo mais barato do que a franquia do seguro.

A franquia é um modo de a empresa garantir maior prudência do usuário. Afinal, caso tenha que arcar com ao menos parte dos prejuízos, o motorista se sentirá mais incentivado a evitar sinistros.

O que é a franquia do seguro?

A franquia de um seguro é cobrada sempre que a perda parcial do veículo acontece. Trata-se como perda parcial aquela em que o custo dos reparos será menor do que 75% do valor do carro.

Nestas situações, o consumidor paga parte dos custos para conserto, e a seguradora paga o restante.

Vamos tornar a franquia ainda mais clara com um exemplo. Se o seu carro sofre uma colisão com danos parciais, ele poderá ser encaminhado para a oficina.

Em seu contrato do seguro, a franquia listada é de R$ 1 mil. Como os reparos do veículo terão custo de R$ 3 mil, você será o responsável pelo pagamento de R$ 1 mil (o montante da franquia). Enquanto isso, a seguradora irá quitar os R$ 2 mil restantes à oficina.

Com a mesma franquia deste exemplo, considere que os reparos do automóvel teriam custo de apenas R$ 800. Como o valor é menor do que a franquia de R$ 1 mil, seria mais vantajoso quitar o conserto do próprio bolso.

É por isso que a seguradora só cobre reparos com custo superior ao valor da franquia acordada com o consumidor.

Portanto, esteja sempre a par do valor da sua franquia. Assim, você não correrá o risco de ter gasto maior do que se optasse por arrumar seu carro sozinho.

Quando a perda do veículo é total, a franquia não é cobrada do consumidor. A perda total acontece quando o custo do reparo é maior do que 75% do valor do carro.

Ocorre também em caso de furto ou roubo do veículo, sem que este seja recuperado pela polícia. Nessas situações, o segurado recebe o valor total de indenização, para que possa adquirir um novo automóvel.

E quando preciso de boletim de ocorrência para acionar o seguro do carro?

Essa talvez seja uma das principais dúvidas em relação ao acionamento do seguro do carro. No entanto, a resposta para ela é simples: o boletim de ocorrência é necessário apenas em casos de roubo ou furto, e em acidentes que envolvam vítimas ou terceiros.

Saiba como proceder em cada um dos casos de acionamento do seguro auto a seguir. O passo a passo pode variar por seguradora, mas geralmente segue as mesmas etapas.

Na dúvida, leia bem o seu contrato e/ou entre em contato com o seu corretor de seguro. O especialista será o responsável por te auxiliar em qualquer caso de sinistro.

Colisões sem vítimas

A primeira coisa a se fazer em um caso de colisão sem vítimas é manter a calma e retirar os veículos da pista, caso esses possam ser locomovidos. Esse passo é importante para que congestionamentos sejam evitados.

Se não for possível movimentar o veículo, siga os procedimentos de acender o pisca alerta, e acione um guincho.

Também é importante sinalizar o local com o triângulo, respeitando a distância adequada do carro. O triângulo de sinalização deve ser posicionado a, pelo menos, 30 metros da traseira dos veículos envolvidos na ocorrência.

A maior parte dos seguros oferece o serviço de guincho gratuitamente. Por isso, tenha sempre com você o número de telefone do seu seguro auto.

Lembre-se de manter a calma e evitar discussões. Converse com o outro envolvido na colisão e colha algumas informações que poderão ser úteis mais tarde, como o modelo do outro veículo, cor e placa, além do nome do terceiro e seu telefone.

Depois, é preciso registrar um Boletim de Ocorrência. Esse registro pode ser feito no posto da Delegacia de Trânsito  mais próxima do local do acidente.

Para encontrar um, basta ligar para o número 190 e pedir a informação, ou pesquisá-la na internet. Se você se envolveu em uma colisão sem vítimas, não conseguirá fazê-lo em uma delegacia comum.

Não é preciso que o outro envolvido na colisão esteja presente na hora do boletim de ocorrência. No entanto, seus dados são fundamentais.

O que fazer com o BO?

O BO é um documento exigido pela maioria das seguradoras. Para obter a indenização parcial ou integral do seguro,  lembre-se de não consertar nada no veículo.

Os reparos só poderão ser feitos após o registro do boletim de ocorrência e da análise e listagem dos danos no documento.

Depois que o boletim de ocorrência for feito, o segurado, então, deve entrar em contato com seu corretor, ou diretamente com a seguradora. Assim, poderá prosseguir com o acionamento do seguro.

Em seguida, será fornecido a ele uma lista de oficinas credenciadas pela empresa seguradora. O consumidor pode ou não acatar essa recomendação.

Ou seja, poderá escolher uma oficina de sua preferência, se desejar. Se for este o caso, será preciso que três orçamentos sejam feitos e encaminhados à seguradora, junto aos documentos necessários.

Após a entrega dos documentos, a empresa terá um prazo de 48 horas para realizar a inspeção e então liberar, ou não, o conserto do veículo. Se negar o reparo, a seguradora deverá apresentar justificativas plausíveis e por escrito. Dessa forma, o consumidor terá a possibilidade de recorrer da decisão.

Colisão com vítimas

No caso de colisão com vítimas, a primeira coisa a ser feita é verificar o estado de saúde da vítima e solicitar uma ambulância.

É importante não movimentar as vítimas, a menos que haja chance de explosão do veículo. Depois de feito isso, acione a Polícia Militar e registre um boletim de ocorrência no local. Aí, é só seguir os mesmos passos do exemplo citado acima.

Lembre-se de mencionar que houve uma vítima no seu aviso de sinistro à seguradora. Especialmente se você contar com a cobertura para terceiros.

Assim, você garantirá o ressarcimento dos custos com socorro médico da outra pessoa. Em situações de óbito, a cobertura para terceiros também pode garantir a indenização à família do vitimado.

Casos de roubo ou furto

No caso de roubo ou furto do veículo, dirija-se até uma delegacia de polícia mais próxima e registre o boletim de ocorrência.

Lembre-se de citar no boletim todos os objetos e documentos que estavam dentro do veículo, especialmente nos casos de perda do documento do carro.

Assim, você terá mais facilidade na hora de conseguir uma segunda via deles, no Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Após feito o boletim de ocorrência, entre em contato com seu corretor ou diretamente com a sua empresa de seguros e solicite um aviso de sinistro. Entregue todos os documentos solicitados e espere até um prazo máximo de 30 dias.

Caso o veículo seja recuperado nesse período de 30 dias, os danos deverão ser avaliados. No caso de danos iguais ou superiores a 75% do valor do veículo, você pode receber a indenização integral estipulada em sua apólice. Assim como no caso da não recuperação do veículo.

No entanto, se ele for recuperado com danos inferiores a 75%, o carro deverá ser encaminhado para uma oficina e consertado, para que então seja devolvido a você.

Se o veículo não for recuperado, o segurado receberá o valor total da indenização, para a compra de outro carro.

Documentos necessários no acionamento do seguro auto

Independentemente da natureza do sinistro, o primeiro documento que deve ser providenciado é o aviso de sinistro.

Nele, todos os dados do ocorrido deverão ser informados à seguradora. Detalhes de como foi o acidente, quais foram os estragos, se houve vítimas ou não.

Se for de sua vontade, também é possível juntar os dados das testemunhas. Junto a esse documento, você deverá entregar outros, como:

  • Boletim de ocorrência;
  • RG e CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Carteira de motorista e o documento do carro;
  • Documento de compra e venda, caso seja um carro financiado.

Não se esqueça de andar sempre com o cartão do seu seguro auto junto a você. Também é interessante anotar as informações no smartphone.

Dessa forma, você terá a mãos telefones úteis e o número da sua apólice. Os dados são absolutamente necessários nas situações de sinistro.

Além disso, esteja atento ao comportamento do outro envolvido, especialmente se ele for o culpado pelo acidente. Muitas pessoas costumam dar o golpe nessas situações, exigindo uma indenização a que não tem direito.

Esse tipo de indenização a outra pessoa é possível quando a cobertura do seu seguro inclui a proteção de terceiros.

No mais, basta seguir os passos mostrados nesse artigo, e você terá a assistência completa da sua seguradora. Tenha especial cuidado ao boletim de ocorrência para acionar o seguro do carro.

Na hora de contratar a sua proteção, conte também com o um bom corretor, e avalie todas as coberturas vantajosas ao seu veículo. Quanto mais completas elas forem, menos prejuízos você terá em caso de sinistro.

Leia mais artigos sobre:

2 Comentários

  • Gregório says:

    boa noite um carro duma empresa bateu na traseira do meu carro o condutor me disse que iria acionar o seguro pra que possa pagar o meu carro .Ele me disse que eu teria que fazer um boletim de ocorrecia para acionar o seguradora do carro dele como que funciona nesses caso demora para a seguradora mandar arrumar o meu carro no caso éra o ondutor do carro que estava errado e bateu no meu carro que estava parado o meu carro não tem seguro.

    • Sanaira Silveira says:

      Boa tarde Gregório,

      Obrigada por comentar no SeguroAuto,
      Para fazer uma cotação ou renovação de seguro, preencha o formulário em nossa página clicando no link http://vemm.go2cloud.org/SHEv para que um corretor parceiro entre em contato com você.

      Atenciosamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *