dcsimg

Indenização de seguro em caso de acidente com vítima

Para garantir a sua segurança, a dos ocupantes do seu veículo ou de terceiros, escolha um seguro que garanta indenização de seguro adequada em caso de acidente com vítima.  

São milhões de veículos nas estradas e vias urbanas e o risco de acidente com vítima continua alto no Brasil. Segundo o Detran, foram pagas 33,7 mil indenizações em julho de 2017, pelo DPVAT, o que mostra que o risco de um acidente, que todos nós corremos no trânsito continua alto. Mas, além do DPVAT existem outras formas de cobertura contratadas que socorrem o motorista, passageiros e outras vítimas de acidentes.

Indenização de seguro em caso de acidente com vítima

Imagem: G1

Quando procuramos uma seguradora, além de pensar na integridade e posse do veículo, é importante considerar também a contratação de um seguro que não só garanta a cobertura do carro, mas também indenize qualquer dano causado à integridade física dos ocupantes e terceiros, vítimas de um eventual acidente.

Você pode conhecer as diversas opções de seguro para cobertura de danos pessoais que podem ser adquiridos juntamente com o seguro do seu veículo. Isso vai fazer toda a diferença se acontecer um momento difícil, que é o acidente.

O seguro DPVAT

O seguro obrigatório contra Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre – DPVAT é pago anualmente, junto com a primeira parcela do IPVA, se este for parcelado ou integralmente.

Indenização de seguro em caso de acidente com vítima

Imagem: Imagem: CQCS

O DPVAT tem o objetivo justamente de indenizar as vitimas de acidentes de trânsito, sem estar vinculado à identificação do responsável pelo acidente e válido em todo o país. Existem milhares de pontos para esse atendimento, em todos os municípios, como as agências dos Correios.

Segundo a Susep – Superintendência de Seguros Privados, existem várias dúvidas sobre o Seguro DPVAT. Aqui vão algumas informações, para as perguntas mais comuns: 

  1. Prazo para indenização

O DPVAT passou a valer em 11 de janeiro de 2003. O prazo para pedir indenização é de 3 anos. Infelizmente existem pessoas que deixam de solicitar o DPVAT por desconhecer essa informação.

  1. Danos materiais

O Seguro DPVAT não indeniza roubo, colisão ou incêndio, apenas danos pessoais, como invalidez permanente, morte e despesas médicas.

  1. Quem pode receber a indenização

Qualquer vítima de acidente com veículo terrestre, o motorista e seus passageiros, seus beneficiários em caso de morte e as vítimas de atropelamento. Não importam quantas vítimas tenham sido atingidas pelo acidente, o seguro indeniza a todas individualmente. Mesmo que o veículo não tenha sido identificado, as vítimas e seus beneficiários deverão ser indenizados.

  1. Beneficiários do seguro

No caso de invalidez permanente, o beneficiário é a própria vítima. Em caso de morte, os beneficiários serão o cônjuge, que receberá 50% do capital segurado, e os herdeiros da vítima, de acordo com o grau de parentesco. Quando não há herdeiros, aquele que provar que foi afetado em sua subsistência com a morte da vítima, pode pleitear ser beneficiário.

A vítima que pede a indenização de seguro também recebe o reembolso das despesas médicas e hospitalares. A vítima pode optar por um atendimento médico particular se esse for prestado por uma pessoa física ou jurídica que tenha convênio com o SUS (Sistema Único de Saúde).

Se a vítima for menor de 16 anos, a indenização de seguro será paga a seus responsáveis, como pais ou tutor. Depois dos 16 anos e antes dos 18 a indenização será paga à vítima, com a assistência de seus responsáveis legais ou autorização judicial.

Como fazer para receber o DPVAT

Para receber o DPVAT o interessado de fazer seu pedido em um dos pontos de atendimento, levando os documentos necessários. A própria vítima pode requerer ou seus beneficiários. Se existir um procurador, deve-se apresentar a procuração. É muito importante que, nesse caso, sejam tomados todos os cuidados para não se cair em golpes de criminosos, que enganam as pessoas, oferecendo sua ajuda em troca de honorários desnecessários ou mesmo desaparecendo com o pagamento.

Faça a cotação do seu seguro auto online!
Qual é a marca do seu carro?

Deve-se ressaltar que as vítimas de acidente devem sempre fazer o devido registro de ocorrência na autoridade policial. Nesse documento devem constar o nome do hospital onde foi prestado atendimento e nome do médico que atendeu. As despesas médicas que tiverem sido efetuadas devem ter comprovantes.

Indenização de seguro de Acidente Pessoal de Passageiro – APP

Imagem: Diário do Nordeste

Esta modalidade tem o objetivo de fazer a indenização de seguro aos passageiros que estavam sendo transportados no veículo segurado acidentado, ou seus beneficiários, caso tenham sofrido lesões ou morte.

O valor da cobertura é o valor contratado. Existem diferentes tipos de contrato, com diferentes valores. É um seguro adicional, que pode ser contratado no momento em que se adquire o seguro do veículo. As opções de garantias se aplicam a danos materiais, danos corporais e aos passageiros.

Modalidade RCF ou Responsabilidade Civil Facultativa
No caso de acidente, a seguradora reembolsa Danos Materiais a Terceiros, se o segurado for o causador do acidente.

No caso de optar por contratar também a cobertura por Danos Corporais a Terceiros, a seguradora indenizará os danos corporais provenientes de lesões ou morte, que foram causados a terceiros, sendo o segurado o responsável.

Cobertura do seguro para Danos Corporais a Terceiros

Essa modalidade destina-se a indenizar a vítima de acidente provocado pelo segurado, como atropelamentos e colisões, em que há feridos ou mortos no outro veículo, pagando as despesas com médicos e hospitais.

No caso da vítima sofrer um ferimento que leve à invalidez permanente ou morte, a cobertura indenizará os beneficiários. Também estão incluídas nesse seguro as despesas com honorários advocatícios e com processos judiciais.

Indenização de seguro em caso de acidente com vítima

Imagem: Notícias R7

As indenizações serão pagas no valor contratado na apólice. O valor mínimo, que atrai o maior número de contratações, é de R$ 50.000, o que é na verdade baixo, no caso de um acidente grave com vítima. É possível contratar coberturas de valores bem maiores, de R$ 100.000 até R$ 500.000.

O pagamento desse tipo de cobertura é pago depois da vítima solicitar e receber a indenização do seguro obrigatório DPVAT. Ela não inclui danos estéticos ou despesas médicas e hospitalares com tratamento psicológico.

 

É importante destacar que a cobertura do seguro não paga indenizações se o segurado estiver dirigindo em situações proibidas por lei, como estar alcoolizado ou disputando rachas.

 

Para quem acha que o DPVAT já presta a cobertura em caso de acidentes com vítima, é preciso destacar que o seguro obrigatório tem um limite máximo de indenização muito baixo, diante do que é necessário na ocasião de um acidente com vítima.

Indenização de seguro em caso de acidente com vítima

Imagem: G1

Atualmente, os valores do DPVAT são:

– Morte – R$ 13.500

– Invalidez Permanente – até R$ 13.500

– Reembolso de Despesas Médicas e Hospitalares – até R$ 2.700

No caso de um acidente que exija cirurgia complexa ou na hipótese da vítima falecer, esses valores são insuficientes para uma reparação. E eles representam o limite máximo, é possível que a indenização estipulada seja ainda menor. Pode acontecer da indenização de seguro por morte, por exemplo, estipulada via judicial, seja muito maior do que o limite de R$ 13.500. A cobertura do seguro por Danos Corporais a Terceiros vai complementar a cobertura do DPVAT.

As seguradoras, através de seus corretores, devem informar sobre todas as condições das modalidades APP e RCF, para que o segurado não tenha dúvidas a respeito. Existe pouco conhecimento sobre as modalidades de seguro para danos corporais a terceiros e danos materiais a terceiros. Sendo muito importantes, elas deixam de ser contratadas por falta de informações sobre problemas reais, que muitas vezes são causados por acidentes no trânsito e que não têm a devida cobertura necessária.

Leia mais artigos sobre:

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro a responder!

Postar um comentário