Seta Balao

Cote o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

6 itens importantes para não cair em golpes ao fazer a cotação de seguro veicular

A cotação de seguro veicular só deve ser feita em sites que possuem política de privacidade de dados se quiser evitar problemas.

Uma das formas mais rápidas de pedir uma cotação de seguro veicular é on-line. Isso permite que em poucos minutos, onde estiver, faça o pedido e receba propostas.

Esse procedimento se tornou bastante comum e vem sendo usado pelas pessoas. A questão é que a internet ainda traz alguns riscos, por isso é preciso atenção.

Existem golpes que são aplicados para conseguir as informações de quem está pedindo uma cotação.

As fraudes por parte dos segurados são mais comuns, principalmente quando eles fingem um roubo para conseguir o valor da indenização. Já os golpes na hora de fazer a cotação não são muito comentados, apesar de existirem.

Veja como a cotação de seguro veicular pode ser feita on-line sem que apresente riscos.

6 itens importantes para não cair em golpes ao fazer a cotação de seguro veicular

Imagem: Getty Images

1. Entenda a política do site em que insere os dados

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) apenas reforçou algo que as empresas e sites já deveriam fazer: proteger os dados de seus usuários. Ela deve ser seguida pelo site em que está cotando o seguro.

Para receber as propostas do seguro auto, deverá preencher um formulário com os dados pessoais, do veículo e outras informações sobre os hábitos. Todos eles devem ser usados única e exclusivamente para que a proposta seja gerada.

O site deve ter uma política bem clara em relação ao uso dos dados, informando para que fim serão utilizados e garantindo a proteção deles. Quando isso não é feito, as informações vazam e o seu nome poderá ser usado em golpes.

2. Confira as credenciais do corretor/corretora

Ao fazer uma cotação de seguro veicular esse pedido será enviado a um corretor, logo ele entra em contato. Esse profissional deve ser de confiança e uma forma de verificar isso é pedindo os dados dele e da corretora.

Depois é hora de conferir se essa pessoa é realmente um corretor credenciado e se a corretora existe. Se certifique de falar com a pessoa certa, afinal, ela terá acesso às suas informações e não vai querer que elas caiam em mãos erradas.

3. Saiba diferenciar uma seguradora de uma cooperativa

Os desavisados podem pedir a cotação do seguro auto e receber uma proposta de proteção veicular. Esses dois produtos são coisas distintas, apesar de serem parecidos e terem coberturas bem semelhantes.

Uma proteção veicular é um serviço ofertado por uma cooperativa, ela não é regulamentada pela SUSEP e possui regras próprias de funcionamento. Já o seguro é regulamentado, segue regras rígidas e passa por fiscalização.

Ao receber uma proposta é preciso analisar do que se trata, a informação deve estar clara. Se está buscando uma proposta de seguro então fique atento.

Já se estiver aberto a outras possibilidades, o cuidado deve ser redobrado. Muitas dessas cooperativas deixam os clientes na mão quando mais precisam, então, pesquise a fundo.

4. Analise a reputação da seguradora que forneceu a cotação de seguro veicular

A seguradora, por mais que seja regulamentada e fiscalizada, também deve ser pesquisada. Ela deve estar ativa e prestar um bom atendimento aos clientes.

Confira uma lista com as seguradoras mais confiáveis!

Veja se ela vem pagando as indenizações ou apenas fazendo propostas que mais se parecem com golpes. Atualmente com a internet surgiram várias seguradoras digitais. Por não terem tanto tempo de mercado vale a pena dedicar uma pesquisa mais ampla sobre elas.

5. Tenha acesso a proposta e a apólice

A única forma de garantir que está contratando um seguro é com a proposta e posteriormente com a apólice. Garanta que receba estes documentos, pode ser inclusive por meio digital.

Elas que darão a segurança de que tem as coberturas contratadas e que poderá usar quando precisar. Sem um comprovante como esse pode ser enganado. Suponha que contratou um seguro com cobertura contra roubo, furto e colisão e pagou por isso, porém, quando verificou a proposta ela só protege contra roubo e furto.

Portanto, além de ter o documento ele deve refletir a realidade, se houver divergências é preciso resolver logo com a seguradora.

6. Não pague a intermediários

Existem golpistas que conseguem driblar todas as dicas acima e pedem que o pagamento seja feito diretamente a eles ou a uma conta indicada. Não caia nesse golpe.

As seguradoras costumam emitir boletos próprios, inclusive disponibilizam em sites e aplicativos para a impressão. Entenda que essas empresas não usam intermediários para receber, independentemente da forma de pagamento escolhida não pague a mais ninguém.

Os cuidados devem começar no momento da cotação de seguro veicular, assim todas as etapas serão feitas com segurança. Isso também garantirá a proteção dos dados e a contratação do produto certo.

Leia mais artigos sobre:
Foto de Jeniffer Elaina da Silva

Especialista em seguros, Jeniffer Elaina trabalha com redação, revisão e otimização SEO desde 2012. É formada em Marketing com pós em Administração na FGV, possui curso técnico em Direito do Seguro e atualmente cursa Gestão de Seguros. Possui mais de 2.000 textos e 5 e-books publicados na área de seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *