Seta Balao

Simule o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

Os pneus são responsáveis pela segurança do seu automóvel

A segurança no trânsito é importante para todos que utilizam as vias públicas e dependem das condições dos veículos que nelas trafegam. Nesse sentido se destacam os pneus.

O motorista precisa ficar sempre atento à manutenção preventiva do seu carro ou moto.

Os pneus são itens muito importantes para serem observados.

Desde abril de 2018, os pneus passaram a serem vendidos, obrigatoriamente, com a etiqueta de garantia do Inmetro, como medida de proteção ao consumidor.

Os pneus são responsáveis pela segurança do seu automóvel

Imagem: Pixabay

Segundo especialistas, os pneus em bom estado e de qualidade são itens decisivos não somente para a segurança do veículo, mas também influenciam o seu desempenho nas estradas.

São os pneus que funcionam para o automóvel exercer a tração ou frenagem em relação ao piso asfáltico.

É exatamente a força do atrito que possibilita tanto o movimento e a velocidade, quanto a sua redução e a mudança de direção.

Ao escolher entre os diversos tipos de pneus disponíveis no mercado, é necessário optar pelo mais adequado ao modelo de veículo.

Entretanto, todos os tipos de pneus estão sujeitos ao desgaste, depois que passar a rodar e têm uma vida útil.

Em algum momento será necessário que sejam trocados.

Na hora da troca, é importante respeitar as características técnicas dos pneus, que são indicadas nas laterais dos pneus originais e assim serão mantidas suas propriedades específicas.

As etiquetas ajudam a escolher o pneu adequado

Desde 2008, os pneus do tipo radial para automóveis, caminhões, comerciais leves e ônibus recebem a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), do Inmetro.

Isso facilitou ao consumidor conferir informações sobre o pneu que está comprando, como segurança, nível de desempenho, eficácia e impacto ambiental.

Essas informações na etiqueta ajudam na hora de decidir a compra.

As etiquetas definiram limites mínimos de performance para os pneus.

Segundo três critérios, que exigem que os produtos que entram no mercado brasileiro atendam a normas que garantem a segurança do usuário, a saúde e o meio ambiente:

– Ruído externo;

– Aderência ao piso molhado;

– Resistência ao rolamento.

As etiquetas ajudam a escolher o pneu adequado

Imagem: Pixabay

Como prolongar a vida útil do pneu

Existem cuidados de manutenção dos pneus que ajudam a aumentar a sua vida útil, como o rodízio dos pneus, recomendado a cada dez mil quilômetros.

Ao trocar a posição dos pneus deve se ter o cuidado de manter o sentido do giro de cada um.

Ao trocar os pneus velhos por novos, deve se trocar todo o conjunto.

Outro cuidado importante recomendado por especialistas é dirigir de maneira suave, evitando arrancadas e freadas bruscas e buracos das vias.

Essa é uma atitude que aumenta a vida dos pneus, além de reduzir o consumo do combustível.

O código de Trânsito Brasileiro (CTB), no artigo 230, inciso XVIII, determina que é infração grave, passível de multa e retenção do veículo, circular com automóveis em mau estado de conservação.

Pneus carecas estão incluídos no critério de mau estado de conservação.

Isso porque os pneus carecas perdem o poder de transferir os comandos do motor, girando em falso, deslizando, patinando, principalmente em pisos molhados, o que compromete a possibilidade de frenagem ou impedem que o veículo consiga fazer curvas.

Pneus usados

Imagem: Pixabay

A calibragem correta

Seu carro fica menos seguro se os pneus estiverem com excesso ou falta de pressão. Veja em que situações:

Falta de pressão

1. Possibilidade de aquaplanagem

Os pneus atuam diretamente no comportamento dinâmico do carro e as variações na pressão, para mais ou para menos, podem alterar o comportamento do veículo.

No caso do pneu estar murcho, quando deixa de ser calibrado, ao passar em solo molhado, seu contato com a área alagada aumenta e o acúmulo de água provoca a aquaplanagem, ou seja, o deslizamento incontrolável.

2.Danos por impacto

Com pouca pressão os pneus se tornam mais expostos em sua lateral a impactos, como quedas em buracos, choques contra o meio fio, etc., o que pode fazer com que o pneu estoure.

3. O pneu pode escapar da roda

A falta de calibragem pode levar a esse tipo de acidente, chamado de detalonamento.

Para acontecer, o veículo pode estar muito pesado e tentar fazer uma curva fechada.

4. Capotamento

Esse problema acontece no caso dos SUVs, que têm o centro de gravidade mais alto do que os veículos baixos.

O modelo tem mais peso concentrado na parte superior do veículo, o que faz com que esse tipo de carro seja mais sujeito a capotamentos, principalmente quando a calibragem não está em dia.

Esse tipo de veículo não joga a traseira em uma curva, pode derivar demais e chegar ao capotamento, mesmo que tenha controle de estabilidade.

Excesso de pressão

1. Picapes podem perder estabilidade no eixo traseiro

Quando a calibragem não está correta, todo tipo de carroceria é afetado.

Entretanto, no caso das picapes, há maior instabilidade quando os pneus estão com pressão acima do normal.

Ao carregar a sua picape, você deve aumentar a pressão dos pneus.

Ao descarregá-la, a pressão deve ser ajustada e reduzida ao normal indicado pela montadora.

Isso porque o pneu muito cheio fica rígido e passa quicar mais, produzindo instabilidade ao eixo traseiro.

Desde que a maior parte das picapes médias têm tração traseira ou temporária, isso pode provocar perda de controle facilmente.

2. A frenagem do veículo pode piorar

Quando há excesso de pressão na calibragem do pneu, a lateral, também chamada de ombro, levanta demais e faz com que a área do contato com o solo diminua.

Sem contar com esses ombros para estabilizar, o carro precisar de mais espaço para a frenagem, o que também varia conforme o peso do carro e o sistema de frenagem.

Os pneus são responsáveis pela segurança do seu automóvel

Imagem: Pixabay

Cuidados extras com os pneus do seu carro

Apesar do desgaste do pneu ser inevitável, existem alguns cuidados para prolongar a vida de todo o conjunto, para sua maior economia e previnem que a direção seja colocada em risco.

Dentre esses cuidados podem ser destacados os seguintes:

  1. Modo de conduzir o veículo

O modo de conduzir influencia diretamente no desgaste maior dos pneus.

A dica é evitar mudanças bruscas na direção e não acelerar ou frear bruscamente.

O local por onde se trafega, como estradas irregulares, com buracos e pedras, também influencia de forma muito prejudicial.

Solos com óleo ou gasolina podem corroer a borracha dos pneus.

Deve-se evitar também trafegar por locais que podem ter objetos cortantes, como pregos ou cacos de vidro.

  1. Cuidados com o peso

O quanto de carga você carrega no carro aumenta o desgaste dos pneus.

Não deixe itens desnecessários no veículo, porque o peso inútil, além de afetar os pneus, aumenta o consumo de combustível, prejudica a suspensão e a embreagem do automóvel.

  1. Faça o alinhamento e o balanceamento

Essa dica é uma dica fundamental para a manutenção dos pneus do carro.

No rodízio, a troca de posição do jogo de pneus ajuda bastante, o ideal é que cada um acabe por passar em cada uma das posições, incluindo o estepe.

Além do rodízio, o alinhamento e o balanceamento também são formas de aumentar o tempo de vida útil, porque quando os pneus ou a direção estão desalinhados o desgaste é desigual e maior.

O melhor é sempre fazer a manutenção preventiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *