Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

O seguro de carro cobre colisão traseira?

Sofreu um acidente, e tem dúvidas se o seguro de carro cobre colisão traseira? Então, este texto é para você! Nele, explicamos o que você deve fazer em situações assim. Acompanhe!

“Será que o seguro de carro cobre colisão traseira?”. Uma dúvida assim é comum para quem acabou de sofrer um acidente do tipo. Afinal, as seguradoras geralmente avaliam de quem foi a culpa do ocorrido.

Segundo o Código Nacional de Trânsito, todo motorista deve guardar uma distância segura do veículo da frente. Com essa distância, obtêm-se a possibilidade de frenagem mais eficaz, o que pode evitar um acidente.

Por isso, salvo exceções, quem bate na traseira é considerado o culpado pelo acidente. Isso já que este motorista não respeitou a distância regulamentar.

O seguro de carro cobre colisão traseira?

Quando o seguro de carro cobre colisão traseira?

Após uma colisão traseira, existem vários modos de resolução do problema. Eles variam de acordo com três situações diferentes:

  1. Em que o outro motorista é culpado e possui seguro com Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V);
  2. Em que o outro motorista é culpado e não possui seguro e/ou cobertura de Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V);
  3. Em que você é o culpado pela colisão.

Veja, a seguir, o que acontece em cada um dos cenários.

1. Quando o outro motorista é culpado e possui seguro com RCF-V

A chamada cobertura de Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V) é a cobertura de um seguro para danos a terceiros. Ou seja, em que, após um acidente, o seguro é acionado e paga, tanto os prejuízos do segurado, quanto do outro automóvel envolvido. Os danos podem ser materiais e físicos (o que geralmente inclui o pagamento de despesas médicas).

2. Quando o causador não possui seguro

Se o outro motorista foi culpado pelo acidente, é justo que ele pague pelo conserto das avarias. Isso pode ser feito de dois modos. Primeiro, em um acordo amigável, em que o indivíduo se compromete a pagar os valores do próprio bolso.

Outra opção é solicitar o conserto das avarias pelo seu seguro. Isso costuma ser possível quando existem apenas danos materiais, mesmo que o segundo condutor seja culpado pelo ocorrido. As cláusulas sob o assunto ficam listadas na apólice do seguro. O ideal é verificá-las antes mesmo da contratação do serviço.

Com o conserto pago pela sua seguradora, você terá que arcar com a franquia do seguro. Aqui, porém, você poderá solicitar que o segundo piloto pague o valor. Assim, ele poderá negociar diretamente com a seguradora, e o problema terá fim.

A franquia de um seguro consiste no valor pelo qual o segurado é responsável para o conserto do carro. Imagine que o seu veículo sofra um acidente. O conserto terá custo de R$ 4 mil, e a sua franquia de R$ 500. Isso significa que você, segurado, será o responsável pelo pagamento de R$ 500 do total, enquanto a seguradora irá arcar com os R$ 3.500 restantes.

Em ambos os casos, é fundamental solicitar ao outro condutor os seus dados. Nome completo, telefone e e-mail. Você também precisa anotar a placa do automóvel envolvido e, se possível, tirar algumas fotos da cena. Essas informações poderão auxiliar na resolução do conflito.

Também é possível que o motorista se negue a quitar o devido. Seja para o conserto, seja a sua franquia. Neste caso, é possível tomar as medidas judiciais cabíveis.

3. Quando você é culpado pela colisão

Como citado no início do texto, são raras as situações em que o motorista atingido é considerado culpado pela colisão. Porém, ainda assim uma situação deste tipo pode ocorrer. No caso de você estar dirigindo à noite e sem luz de freios, por exemplo. Em uma circunstância assim, o outro condutor nem mesmo veria sua frenagem, colidindo com o carro.

Neste tipo de ocasião, você se torna responsável pelo próprio prejuízo. Logo, deverá acionar o seguro e pagar a franquia.

Ao mesmo tempo, há a possibilidade de pagamento do prejuízo do outro indivíduo. Caso a seguradora ofereça a cobertura RCF-V, ela será a responsável pelos valores. Caso não, você deverá pagar os custos do próprio bolso, também ficando sujeito à medida judicial.

Em qualquer das situações, as seguradoras sempre realizam a vistoria dos veículos e da colisão. Assim, podem avaliar o grau de culpa de cada um, e então tomar as medidas necessárias para cobertura dos prejuízos.

Agora você já sabe que o seguro de carro cobre colisão traseira, mas apenas em algumas situações. Se o culpado pelo acidente for o outro motorista, torna-se responsabilidade dele arcar com os valores. Nem que seja apenas para a quitação da franquia.

Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *