Seta Balao

Cote o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

Seguro auto Pay Per Use: como funciona? Vale a pena?

Um seguro auto Pay Per Use pode ser uma opção interessante para quem usa pouco o carro e quer economizar. Saiba tudo sobre o assunto no texto!

Esse tipo de seguro auto já é bastante comum nos Estados Unidos e Europa, mas só chegou recentemente ao Brasil. A primeira opção foi resultado de uma parceria entre a Thinkseg e a Generali, mas outras empresas já o oferecem também.

Ele tem chamado a atenção e tem tudo para ser oferecido por mais seguradoras ao longo do tempo.

Seu funcionamento é simples. Em vez de pagar um seguro convencional (comum), com grandes mensalidades, o usuário paga um pequeno valor por quilômetros rodados.

Explicamos mais sobre a opção ao longo do texto. Continue lendo!

Seguro auto Pay Per Use: como funciona? Vale a pena?

Imagem: Getty Images

Como funciona o seguro auto Pay Per Use

Um seguro convencional geralmente funciona com um contrato anual. O usuário entra em contato com a seguradora, contrata a proteção e paga o prêmio (valor para contratação).

Muitas vezes, esse prêmio pode ser parcelado, para facilitar o pagamento pelo consumidor. E a proteção valerá para todo o ano.

Já um seguro auto Pay Per Use funciona com mensalidades. O usuário paga um valor mensal para manter a sua assinatura valendo. Algo semelhante à Netflix ou outro serviço por assinatura.

Depois, quando for usar o carro, o segurado vai pagar uma taxa por quilômetro rodado com o veículo. O valor não é alto, e pode representar uma grande economia para quem usa pouco o auto.

Como contratar e usar um seguro auto Pay Per Use?

Toda a contratação e gerenciamento do seguro é feita de forma digital. Primeiro, pelo site da seguradora.

Então, após a contratação do seguro, o usuário faz o download do aplicativo do seguro. O app registrará informações sobre a condução do carro, que vão afetar o custo do quilômetro rodado.

São avaliados aspectos como a aceleração do veículo, frenagem, uso do celular durante a condução do veículo, lugar de tráfego e mais.

Quando o motorista tiver uma condução prudente, o custo do seguro por quilômetro rodado poderá ser menor. Esse desconto é feito por um sistema de pontos — quanto melhor a condução, maior a pontuação e maior o desconto na proteção.

Outros seguros também precisam ser ativados para o uso. Não é o caso da parceria entre a Thinkseg e a Generali, mas pode valer a pena considerá-los.

Nestes casos, sempre que sai de casa, o usuário ativa a proteção por um app. Apenas ligado o seguro protegerá o veículo. Caso o consumidor esqueça deste passo e sofra um sinistro, terá que arcar sozinho com o prejuízo.

Vale dizer que um seguro auto Pay Per Use costuma ter uma cobertura mais básica, como contra furto, roubo e colisão.

Para uma cobertura mais completa, pode ser necessário negociar com a seguradora ou mesmo contratar um seguro auto comum.

Outro destaque desse seguro auto é que ele não costuma ter fidelidade. Logo, o usuário pode cancelá-lo quando achar melhor.

Por isso, se o carro ficar parado por muito tempo, for vendido etc., você poderá cancelar o seguro sem pagar nenhuma multa.

Seguro auto por uso vale a pena?

Muita gente se pergunta se vale a pena contratar um seguro auto Pay Per Use. A resposta é: depende.

Depende, primeiro, do quanto você utiliza o veículo. Lembre-se que haverá uma taxa a ser paga por quilômetro rodado com o carro.

Dessa forma, é importante que os quilômetros mensais sejam poucos. Do contrário, o custo da proteção pode ser muito semelhante, ou até maior que de um seguro comum.

Esse tipo de seguro “pague quando usar” é indicado para veículos que rodam, no máximo, 300 km por mês.

Outra razão pela qual esse seguro pode ser interessante ou não é seu tipo de condução. Em um seguro comum, o tipo de direção do motorista não é avaliado. Seu perfil sim, mas a seguradora não “acompanha” o dia a dia do auto.

Já no seguro auto Pay Per Use é muito comum que o app da seguradora registre o tipo condução do auto. Assim, além de medir os quilômetros rodados, a seguradora pode cotar a taxa que será paga pelo usuário.

Como já citamos, quanto mais prudente seu tipo de condução, mais barato o seguro pode se tornar. E o contrário também vale: quanto mais imprudente e mais manobras arriscadas você fizer, mais vai pagar.

Ou seja, se você não tem lá muita prudência no trânsito, o seguro auto Pay Per Use pode não ser o mais barato ao seu bolso.

*Este texto é de conteúdo editorial e não garante a comercialização deste produto nesse site.

Leia mais artigos sobre:
Foto de Jeniffer Elaina da Silva

Especialista em seguros, Jeniffer Elaina trabalha com redação, revisão e otimização SEO desde 2012. É formada em Marketing com pós em Administração na FGV, possui curso técnico em Direito do Seguro e atualmente cursa Gestão de Seguros. Possui mais de 2.000 textos e 5 e-books publicados na área de seguros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *