Seta Balao

COTE AQUI SEU SEGURO AUTO RAPIDINHO!

Qual é a marca do seu carro?

30 coisas que eu gostaria de saber antes de comprar um carro

Antes de comprar um carro é preciso se informar e pesquisar muito. Veja algumas dicas de como garantir que terá feito a melhor escolha.

Eu dirijo desde os meus 18 anos e já tive diferentes veículos. Porém, tem coisas que eu gostaria de saber antes de comprar um carro uma vez que já tive alguns problemas durante esse tempo.

Eu troco de carro a cada 3 ou 4 anos e já comprei tanto carros novos como os usados. E nessas aquisições muitas me agradaram e em outras acho que poderia ter feito algumas coisas diferentes para não sair prejudicado ou insatisfeito.

Aprendi que não basta apenas olhar o carro para saber se está fazendo uma boa compra é preciso se atentar a uma série de detalhes. Por isso resolvi fazer uma lista com alguns deles.

30 coisas que eu gostaria de saber antes de comprar um carro

1 – Avaliar a marca

A montadora costuma ter uma reputação, algumas possuem um bom histórico com carros bons e duráveis, já outras são o oposto.

Veja se vale a pena investir em um carro de uma determinada marca, avalie o que outros consumidores dizem sobre ela, se realiza recall om frequência e qualquer outro ponto que possa indicar problemas.

2 – Saber quem é o vendedor

Mesmo quando compra o carro em uma concessionária não está muito seguro se a empresa não for de confiança. Você corre o risco de não receber o carro.

Vai dizer que nunca ouviu falar de um caso de uma concessionaria que fechou de repente e que os clientes pagaram por seus carros e nunca receberam.

Eu indico sempre pesquisar a procedência e idoneidade da loja, se ela possui um bom histórico. Se ouvir comentários negativos nem se arrisque.

A situação fique mais complicada quando resolve comprar o carro de um vendedor particular, se não conhece a pessoa ou tem amigos em comuns está correndo um grande risco. Se puder é melhor buscar outra opção.

3 – Consultar o histórico do veículo

Os carros novos não têm esse problema, mas os usados podem ter débitos anteriores ou problemas com a documentação.

Veja se o licenciamento está em dia, se não há IPVA atrasado e outras.

4 – Ver se não há registros de roubo

Uma vez quase que comprei um veículo roubado, mas por sorte já tinha aprendido a levar o meu mecânico para fazer uma revisão.

Ele me alertou que o número do chassi e dos vidros não conferia com o do documento o que é um grande indício de fraude.

Desistir da compra e 2 dias depois apareceu no jornal que uma quadrilha que vendia carros roubados foi presa e reconheci o vendedor, era quem tinha me mostrado o veículo.

5 – Consultar batidas anteriores

Nem sempre o vendedor e honesto e falará se o carro já foi batido, mas, isso pode deixar o carro inseguro.

Na hora de avaliar o carro veja se existe qualquer indício de que algo possa estar errado e também peça ajuda ao seu mecânico.

Se mesmo assim tiver um pouco de dúvida, existem profissionais que são peritos nesse tipo de avaliação. Vale a pena contratar um.

6 – Ter a ajuda de um mecânico

Aparentemente o carro pode estar bem conservado, sem nenhum problema, mas, ao andar alguns dias com ele aparecem os problemas.

Eu já passei por isso e me senti engando pelo vendedor, principalmente quando meu mecânico falou que o carro já devia estar ruim a algum tempo.

Precisei gastar um bom dinheiro para trocar diversas peças e com mão de obra e aprendi que antes de comprar um carro sempre tenho que elevar meu mecânico para conferir antes.

7 – Não olhar o carro à noite

Achava que ver o carro que ia comprar à noite não tinha nenhum problema, afinal, era só estar em um lugar bem iluminado.

Só que isso não é verdade, a noite a gente deixa de ver vários detalhes e passam despercebidos arranhões na pintura.

Ainda bem que fui alertado e fiz um teste, vi um carro a noite e depois olhei durante o dia. A pintura estava danifica e não tinha conseguido perceber isso no primeiro momento.

8 – Ser minucioso

Não se deve ter pressa, mas, o importante é se atentar a todos os detalhes, principalmente com um carro usado.

Imagine que é um especialista e faça uma verificação minuciosa, olhe tudo e tenha a certeza de que não há nenhum problema.

9 – Fazer o test drive

Comprar um carro sem dirigir é mio que loucura, você não sabe como se sentirá nele.

Na aquisição de carros novos peça para fazer um test drive com o modelo escolhido e veja se é confortável e atende as suas necessidades.

Os carros usados também devem ser testados, dê uma volta com eles e veja se está bom.

Muitas vezes o veículo tem muitos atrativos e parece excelente, mas, quando entra nele vê que não é nada do que imaginou. Só testando para saber a verdade.

10 – Carros passam por testes de segurança

Eu não sabia que existiam testes que avaliam o quanto um veículo é seguro. Eu nunca tive uma colisão, mas, depois que me tornei pai passei a ter algumas preocupações, principalmente quando minha filha está no carro.

Alguns modelos são considerados pouco seguros e aparentam um maior risco para seus ocupantes. Essa é uma informação que eu considero agora, pois, não quero colocar ninguém em risco.

11 – Escolher o carro com calma

Já fui muito ansioso para comprar carro é encontrava um modelo que gostava e comprava. Só que depois eu percebia que havia um concorrente que tenha mais itens de série ou que paguei caro pelo negócio.

Aprendi que é preciso ter calma nessa busca, nunca devo fecha o negócio de imediato sem antes comprar e pesquisar.

Se for que nem eu que acha que não pode perder uma oportunidade, respire. Converse com o vendedor e fique de dar uma resposta no dia seguinte, isso pode te impedir de fazer um mau negócio.

12 – Empolgação ou necessidade

Disse que é preciso ter calma na hora da escolha e realmente é verdade. Só que mesmo não compre de imediato a empolgação pode te enganar.

Tecnologia de ponta pode te deixar empolgado, pelo menos eu fico. Só que nem sempre é uma necessidade e esse item pode me fazer pagar bem mais caro e depois ser deixado de lado.

O ideal é fazer uma lista do que precisa no carro antes de ir as compras, assim não se deixa levar pela empolgação.

13 – O que é fundamental não pode ser deixado de lado

Sabe aquele item que você pensa: “O carro é muito bom, vale a pena abrir mão dele.” Nem sempre isso é verdade.

Eu sou bem alto e minha mulher é baixa, apesar de cada um ter o seu carro, quando viajo a trabalho preferi ir com o dela que está menos rodado.

O problema é que ela fica om o meu e sempre reclama que o banco não tem regulagem de altura e que ela não consegue ter uma boa visibilidade.

Quando comprei o carro até pensei nisso, mas achei que era dispensável. Agora estou pensando em trocar de carro antes do planejado só para resolver essa questão.

14 – Novo x usado

Um carro usado pode não ser tão ruim se não tiver muito dinheiro e para que precisa dele.

Existem muitos carros usados que são bons só é preciso escolher com cuidado.

Os novos por sua vez vêm com garantia de fábrica e você sabe que não tiveram donos anteriores e isso evita problemas.

A sua situação é que deve determinar se opta por um novo ou usado desde que esteja fazendo um bom negócio.

15 – Manutenção do veículo

Não tem como é preciso fazer a manutenção do carro para evitar problemas, a questão é que algumas são bem mais caras.

Já fui pego de surpresa quando precisei pagar quase R$ 300,00 por um retrovisor por conta do modelo do meu carro, sendo que no modelo anterior custava cerca de R$ 80,00.

Tem modelos que tudo fica mais caro, as peças e mão de obra. Agora veja quanto isso vai me custar e já desisti de comprar um carro que eu queria só por causa disso.

16 – Olhar a quilometragem

Achava que se o carro aparentemente estava em boas condições a quilometragem não contava muito. Aprendi que não.

Quanto maior a quilometragem, mais as peças estão desgastadas e será preciso ir mais vezes ao mecânico e fazer manutenções.

Se eu quero rodar com o carro por um bom tempo, já sei que devo pegar um zero ou com quilometragem baixa para não ter que ir na oficina a cada 2 semanas.

17 – A cor do carro

Sempre achei lindo o carro azul e certa vez resolvi comprar um zero quilômetro. Adorava o meu carro e achava lindo, só que os outros não.

A preferência continua sendo pelo preto, prata e branco e quando você tem um carro que não seja nenhuma dessas cores terá mais dificuldade para vender.

Quando decidi trocar de veículo fui na concessionária e o valor ofertado por ele foi bem abaixo da tabela. Quando perguntei o motivo me falaram que era por conta da cor.

Não satisfeito resolvi que ia vender me particular. Passaram 3 meses e ninguém comprou. Resultado. Tive que usar na compra de um novo e aceitar o valor ofertado pela concessionária.

Agora, apesar de achar lindo o carro azul, acabo optando pelas cores mais tradicionais.

18 – Ouvir outros motoristas

Se quer saber como o carro é verdade no dia a dia é preciso ouvir de quem dirige. Não adianta o vendedor falar, ele não conhece na prática.

Busque por opiniões e comentários de quem possui o mesmo modelo que está querendo comprar. Poderá descobrir muito mais do que imagina.

19 – É possível pesquisar online

Nasci em uma época que não tinha internet, então, não sou muito esperto para algumas coisas.

Quando ia comprar um carro ficava indo a várias concessionarias para procurar um modelo que gostasse e comprar valores.

Meu sobrinho que me deu a dica de pesquisar pela internet, aprendi que possa economizar um bom tempo com isso e tenha muito mais opções.

20 – Leilão pode ser uma opção de compra

Comprar carro por leilão pode se rum ricos ou um bom negócio. Os valores costumam ser bem mais baixos que os do mercado.

Porém, para não arriscar é preciso tentar descobrir o máximo de informações que puder para não ter prejuízo depois.

21 – Carros fora de linha podem ser atrativos

Se está querendo um carro zero, veja se tem algum modelos que já saiu de linha.

Quando eles ficam parados no pátio são vendidos por um valor bem interessante e isso pode ser um bom negócio. Só cuidado para pesquisar também qual o valor de revenda para não perder no futuro.

22 – Pagar à vista pode ser vantajoso

Um carro é caro, mas, ele pode ficar um pouco mais em conta quando você consegue pagar à vista.

Hoje que estou estabilizado financeiramente consigo fazer isso e aprendi que o valor pode sair abaixo do comercializado em tabela. Vale muito a pena.

23 – Financiamento pode ser perigoso

O meu primeiro carro eu ganhei, mas, os outros tive que comprar. Na época não tinha muito dinheiro e optei por fazer um financiamento.

Foi a solução perfeita, até que atrasei uma parcela. Quando fiz o financiamento sabia que pagaria caro pelos juros, mas, atrasar me trouxe outros problemas.

Eu tive que pagar um valor bem maior pela parcela e fiquei ameado em perder o carro. Aprendi que só posso financiar se tiver me organizado financeiramente e conseguir pagar as parcelas.

24 – Saber que existe consórcio

Eu achava que só existe o financiamento como opção para pegar o carro parcelado. Se tivessem me contando ante que havia o consórcio talvez tivesse economizado um bom dinheiro.

Para quem não está com pressa em adquirir o carro essa pode ser uma boa escolha, pois, paga um pouco todo mês e o dinheiro depois é usado para comprar um carro.

Ele sai bem mais barato que o financiamento já que não tem juros apenas a taxa de administração.

25 – Ter o nome limpo

Falei que um financiamento pode ter juros altos e quando você está com o nome sujo aparece mais um problema. Ou você não consegue financiar ou os juros ficam ainda maiores.

O ideal é pagar todos os débitos que possuem antes de tentar financiar, isso vai ajudar a conseguir as melhores condições.

26 – Sempre é possível negociar

O preço do carro é dado se você aceita, ótimo! O negócio é fechado e você vai com seu carro novo embora.

Só que os vendedores sabem que as pessoas sempre vão tentar negociar e deixam uma margem para isso, por isso, não deixe de tentar conseguir um preço melhor.

27 – Desvalorização do modelo

Confesso que não entendo muito bem como é feito esse cálculo, pois tem carros que desvalorizam 7% no primeiro ano e outros 20%.

Apesar disso eu quero um que me garanta um bom valor de revenda, então, sempre pesquiso quais são os que menos desvalorizam.

28 – Pense no valor do seguro

Antes com o carro sem seguro é um pouco de loucura, pois, ele pode ser roubado ou sofrer uma colisão.

Já comprei o carro dos meus sonhos, só que quando fui fazer o seguro me assustei. Ele custava 3 vezes mais que o seguro que eu tinha antes e olha que a diferença de anos dos carros era pouca.

Perguntei pro corretor o motivo e ele disse que o carro que eu tinha comprado era um pouco mais caro, mas, principalmente que tinha um alto índice de roubo.

Não me atentei, mas, deveria ter feito uma simulação do seguro antes da compra. Agora sempre vejo isso com antecedência.

29 – Avaliar o espeço interno

Já fiz a besteira de comprar o carro porque gostei dele na aparência e no test drive. Só que esqueci de me atentar ao espaço interno.

Para mim estava tudo ótimo, só que quem andava no banco de trás não tinha muito espaço para as pernas.

30 – Olhar o porta-malas

Isso também é bastante importante, pois tem que caber todas as coisas que precisam ser transportadas.

No meu caso, como só uso o carro na cidade ele pode ser pequeno, isso não tem problema. Só o que o da minha mulher precisa ter muito espaço, afinal, viajamos com o carro dela.

Agora você já conhece várias dicas para antes de comprar um carro, então me escute e não faça como eu que me arrependi depois.

Leia mais artigos sobre:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *