Seta Balao

Cote o preço do seu Seguro Auto

Qual é a marca do seu carro?

Conheça os itens de segurança agora obrigatórios nos veículos

Desde o final de janeiro, está em vigor a resolução 518 do Contran que estabeleceu que todos os carros produzidos no Brasil passem a ter 3 novos itens de segurança.

A partir do dia 29 de janeiro, passou a vigorar a resolução 518 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece que todos os modelos produzidos no Brasil tragam, de série, apoios de cabeça e cintos de segurança de 3 pontos, destinados a todos os ocupantes. Além disso deverá haver a fixação para cadeirinhas, do tipo Isofix.

Conheça os itens de segurança agora obrigatórios nos veículos

Imagem: Getty Images

Portanto, cinto de segurança traseiro de três pontos, apoio de cabeça para todos os ocupantes e fixação do tipo Isofix para cadeirinhas agora são itens obrigatórios de segurança automotiva no Brasil.

Controle de estabilidade já é item incorporado a novos projetos e esses novos itens visam garantir mais segurança aos ocupantes dos veículos.

1. Cinto de segurança de três pontos

O cinto de segurança de três pontos garante maior proteção aos passageiros, de forma vantajosa na comparação do cinto padrão subabdominal que alguns carros têm na posição central do banco traseiro, o qual só tem dois pontos de fixação.

2. Encosto de cabeça

O encosto de cabeça pode até parecer um acessório banal, mas destina-se a garantir maior apoio ao pescoço em caso de colisões traseiras.

itens de proteção obrigatórios nos veículos

Imagem: Getty Images

3. Fixação para cadeirinhas

A fixação para cadeirinhas do tipo Isofix garante pontos de ancoragem, tanto no veículo quanto na cadeirinha. Esse sistema é composto por dois pontos de fixação que ficam na base da cadeirinha ou do bebê-conforto, que se encaixam a dois pontos no veículo, que ficam no vão entre o assento e o encosto do banco traseiro. Um terceiro ponto de fixação pertence a uma espécie de gancho da cadeirinha, para evitar que o dispositivo se movimente. Esse ponto pode estar fixado na parte de trás do encosto ou na lateral do carro ou no assoalho, aproveitando a mesma área de onde saem os cintos de segurança.

Segundo especialistas, a fixação para cadeirinhas é o item de segurança mais difícil das montadoras adaptarem. Isso porque a ancoragem precisa estar ligada diretamente no monobloco ou na estrutura dos bancos, o que exigi maior esforço nos projetos de engenharia e vários testes, que incluam simulações de colisão.

segurança carro com crianças | SeguroAuto

Imagem: Getty Images

Os que ainda não se adaptaram

Apesar da norma ter sido publicada há 5 anos, em janeiro de 2015, ainda assim 5 modelos da Volkswagen, não apresentam as adequações necessárias que a lei exige. São eles:

– Volkswagen Fox – não apresenta nenhum dos itens

– Volkswagen Gol – só tem apoios de cabeça, ainda não conta com todos os itens de segurança obrigatórios

– Volkswagen Saveiro, em suas versões com cabine dupla – só tem apoios de cabeça e cintos de segurança

– Volkswagen Up – só tem fixação para cadeirinha Isofix

– Volkswagen Voyage – só tem apoios de cabeça

O presidente da Volkswagen, Pablo Di Si, afirmou à imprensa especializada do setor, no final de janeiro deste ano, que a fábrica irá adequar seus modelos às regras do país. Sobre a possibilidade dos modelos continuarem em linha no Brasil, o executivo afirmou que existe a possibilidade de alguns modelos serem mudados.

A Volkswagen informou ainda que fará os anúncios necessários no momento que acharem correto. Vale esclarecer que, caso a marca não faça as adaptações, esses modelos não poderão ser mais produzidos.

Outros modelos também defasados

Até o último dia antes de a lei entrar em vigor, 6 modelos, de 4 fabricantes além da Volkswagen também não ofereciam ainda os novos itens de segurança. Veja quais são!

Citroën C3

– Fiat Doblò

– Fiat Grand Siena

Fiat Strada

– Nissan March

Renault Kwid

As montadoras Fiat, Nissan e Renault informaram que já introduziram os recursos de segurança nesses veículos, sendo que as versões atualizadas começaram a ser produzidas. A Citroën afirmou que partir do dia 29 de janeiro de 2020 todos os veículos da fábrica contarão com os equipamentos exigidos.

Entretanto, as unidades já fabricadas e que se encontram nas concessionárias poderão ser vendidas normalmente.

segurança no carro com crianças | SeguroAuto

Imagem: Getty Images

Controle de estabilidade

A adoção obrigatória do controle de estabilidade, como item de série, em novos projetos de veículos está prevista para 2022.

Controle de estabilidade ajuda a manter o carro na trajetória. É um dispositivo que se enquadra nos aparatos de segurança ativa, ou seja, aquela que age para evitar realmente acidentes, e não apenas reduzir os danos, como no caso dos outros itens.

A lei vale para modelos inéditos e também para os que forem modificados. Para os veículos que estão em linha e que passarem por atualizações menores, como mudança de ano/modelo, ou até mesmo alteração no seu design, a adoção obrigatória do controle de estabilidade está prevista para 2022.

Conhecido como ESC ou ESP, o controle de estabilidade, de forma geral, impede que o veículo saia de sua trajetória original, segurando o carro em curvas mais fechadas, pistas molhadas ou escorregadias. Isso é conseguido por meio de sensores, que detectam que o carro está saindo do controle, fazendo com que o giro do motor seja reduzido e se necessário, acionando os freios.

O controle de estabilidade é um item importante de segurança, já adotado há muito tempo na Europa e nos Estados Unidos.

segurança carro com crianças | SeguroAuto

Imagem: Getty Images

Saiba quais são os futuros 13 novos itens de segurança

O Contran divulgou uma lista completa de equipamentos que serão regulamentados nos próximos quatro anos. A legislação brasileira está atrasada em relação a outros países com mercados mais consolidados quanto à segurança e eficiência dos carros vendidos.

Por enquanto, o consumidor brasileiro conseguiu a obrigatoriedade de airbags dianteiros e freios ABS (antitravamento), além das metas de emissão de poluentes.

São 38 as novas regulamentações que serão implementadas, envolvendo veículos de diferentes categorias, entre leves e pesados, com reboque e semirreboque. Objetivo da divulgação da lista é dar tempo hábil para que a indústria possa se preparar e até se antecipar.

Quanto aos carros de passeio, são 13 os itens regulamentados a serem adotados futuramente:

  • Alerta de frenagem emergencial – deve avisar, por meio de sinais luminosos e/ou sonoros, a proximidade do veículo a outro que trafega mais lento à frente.

2) Sistema de visibilidade traseira – É a popular câmera de ré.

3) Atualização de normativo sobre buzinas – serão estabelecidos novos padrões de acionamento e sons das buzinas.

4) Atualização de normativo sobre retrovisores – Serão modificados os padrões de dimensionamento e acionamento dos retrovisores.

5) Atualização de normativo sobre dobradiças e fechaduras – Serão adotados novos padrões para dobradiças e fechaduras das portas e porta-malas.

6) Atualização de normativo sobre proteção ao ocupante incluindo impactos frontal e traseiro – padrões de segurança ligados a reforços estruturais de carroceria.

7) Aviso de fechamento dos cintos de segurança – com avisos sonoros e/ou por luzes-espia no quadro de instrumentos.

8) Proteção para pedestre – Não foi especificado se a regulamentação será em relação à detecção preventiva de pedestres.

9) Impactos laterais – espera-se a imposição de reforços estruturais nas portas e colunas laterais e também a obrigatoriedade de airbags laterais e de cortina.

10) Aviso de manutenção em faixa – sinal, visual e/ou sonoro, alertando que o motorista está desrespeitando os limites de sua faixa de rodagem..

11) Frenagem automática emergencial – Auxilia o motorista a frear com pressão adequada e, em alguns casos, age autonomamente para frear o carro a tempo de evitar ou minimizar danos de colisão.

12) Veículos com acessibilidade – estabelece a inclusão de equipamentos que facilitem o acesso das chamadas PCD (Pessoas com Deficiência).

13) Gravador de dados de acidentes de trânsito – espécie de “caixa preta”, como a dos aviões para ajudar a investigar os motivos e o desenrolar dos acidentes.

Leia mais artigos sobre:
Foto de Regina Di Ciommo

Mestre e Doutora em Sociologia pela UNESP, pesquisadora na área de Ecologia Humana e Antropologia, Desenvolvimento e Sustentabilidade Ambiental, foi professora em cursos superiores de Sociologia e Direito, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *